@Parque – Parte II

Abri mais as pernas… ficando completamente aberta para ti… aumentaste a intensidade das penetrações, agora com 2 dedos, sentias-me bem, sentias-me toda.

Disse-te entre gemidos:

Ahhh seu safado tesudo!

Olhava para ti com tesão e sabia o que mais desejavas… dar-me prazer e sentir na tua boca o meu sabor! Eu sabia!

Disse-te:

Queres me chupar a coninha é?

“Sim quero. Quero muito isso…”

Respondeste.

Tentei encontrar uma posição ainda melhor para que tu te pudesses baixar e finalmente explorar com a boca a minha cona… e tão sedenta de sentir a tua língua que ela estava.

Quando sinto a tua língua a chegar, fresca e molhada, suspiro… penetraste-me primeiro com a tua língua e de seguida beijaste-me os lábios da cona e no interior das coxas. Enquanto te deliciavas olhavas nos meus olhos, vias e sentias a minha tesão.

Voltaste a efiar a tua língua bem fundo na minha cona e depois levantaste-te para me beijar.

Adoro partilhar um beijo intenso de sabor e cheiro a mim. E que beijo quente e molhado esse que só me fazia ficar ainda mais desejosa de voltar a sentir a tua boca a chupar suavemente o meu clitóris.

Voltaste a descer e correspondeste ao meu desejo. Começaste a chupar, primeiro suavemente e quando eu coloquei as minhas mãos no teu cabelo e te puxava, aumentaste a intensidade.

Paraste… e perguntaste:

Estás a gostar?

Ahh sim…estou a adorar…”

Disse eu, entre suspiros. E desejando que continuasses!

Voltaste a chupar-me mas agora mais forte…mais intensamente. Eu sabia que tinhas o desejo de sentir o meu orgasmo, andavas louco por sentir o meu sabor a nascer e sentir o meu corpo a contorcer-se de prazer na tua boca.

Por momentos esqueci completamente onde estava e fechei os olhos enquanto te apertava e massajava o cabelo, puxava a tua cabeça contra mim, não te queria deixar fugir,

Afastaste a tua boca e com os teus dedos começaste a massajar intensamente a minha cona, especialmente o meu clitóris… eu adoro isso! Gemia mais intensamente e tu como sentias que eu me estava quase a vir e dizes-me:

Ahh putinha, quero te fazer vir… vais-te vir para mim?

Aumentaste a intensidade do teu toque e eu estava a chegar lá…

Estou-me quase a vir!

disse eu

Continuaste sem parar de esfregar a minha cona até me fazeres vir…

Sim!! Tão bom! Isso!

Contorci-me de prazer e tu não hesitaste em voltar a chupá-la muito suavemente.

Tinha vontade de dar um longo e audível grito de prazer! Os teus olhos cintilavam… estavas cheio do meu sabor… o meu néctar, como lhe chamas, estava por todo o lado.

Puxei-te e beijámo-nos durante um bom momento… Relaxámos.

Estava na hora de regressar ao trabalho… Despedimo-nos sem vontade, mas satisfeitos. Eu por ter tido um almoço orgásmico e tu por me teres dado esse prazer ao ponto de ficares marcado com o meu cheiro para o resto da tarde.

Regressei ao escritório mas a cabeça ficou no estacionamento.

Passado um par de horas recebo uma sms…

Estou aqui por perto outra vez… Vens lanchar?

Hmmm como resistir… Dose dupla!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

@Parque – Parte I

Finalmente estivemos juntos!

Eu escolhi um sítio acolhedor mas fun para almoçar, convenientemente, perto do trabalho. O tempo é escasso e não o queria perder em trajetos pela cidade.

Achei que o sítio te ia agradar e seria o ideal para um primeiro encontro. Íamo-nos conhecer em carne e osso, olhos nos olhos, pela primeira vez!

Durante o almoço, senti que enquanto eu tentava falava contigo num tom descontraído, tu olhavas nos meus olhos, e eu sentia de imediato a minha cara a ficar quente e provavelmente corada.

A timidez não me largava. Tinha gostado do que estava a ver e de o nosso click ter sido fácil.
Desejava que me agarrasses firmemente, me puxasses contra ti e finalmente me beijasses… mas tentava fugir a esse teu olhar intenso e manter a minha distância…

Neste momento o meu diretor entra nesse mesmo restaurante!

Miúda! Endireita as costas, põe um ar profissional e tenta continuar o teu almoço com naturalidade. Ele não sonha que tu te estás a encontrar com um tipo que não conheces e com quem estás mortinha por ter sexo, pois não?

Terminámos a refeição calmamente, bebemos o nosso vinho devagar e até apetite para sobremesa tive. Tu mostraste-me discretamente o ecrã o teu telemóvel onde estava escrito

Quero-te beijar (derreti…) vamos embora?

Dirigimo-nos para o teu carro, que estava estacionado num parque subterrâneo perto, e enquanto o fazíamos íamos lado a lado a sentir uma tensão que tínhamos de conter até estarmos só os dois.

Aproximávamo-nos do elevador para o parque e ficamos sós por instantes… quase nos beijávamos… mas entrou uma pessoa.

Damn! Isto hoje não está a correr bem…!

Finalmente chegamos ao teu carro que estava estacionado num canto. Relaxei, assim íamos poder ficar à vontade… O meu crasy mode já estava on
Ficámos de pé junto ao carro e encostaste-me ao pilar e finalmente senti os teus lábios. A timidez estava a partir para bem longe. O gelo estava quebrado.

Perguntaste-me se queria entrar para o banco de trás contigo… Disse que sim e entrei à tua frente. Beijámo-nos uma, outra e outra vez. Sempre adorei beijar e os beijos eram muito bons, molhados e suaves.

Sentia-te excitado e deixámo-nos guiar pelo instinto.

Naquela escuridão e calor, fomo-nos explorando: línguas, sabores e cheiros. Beijaste-me no pescoço e desceste as tuas mãos para o interior das minhas coxas, apertaste-me as pernas e sentia a tesão a acumular-se.

Perguntei-te se querias beijar as minhas maminhas…sem hesitar subiste a minha blusa, desceste o meu soutien e eu senti a tua boca e o teu respirar nos meus bicos já duros de tesão…beijaste, lambeste, chupaste, brincaste com a ponta da língua e com umas trincadelas ao de leve. Adorei.

Com o calor, aumentava também intensidade dos beijos, eu levantava o pescoço demostrando que gostava de ser beijada aí…gostava de sentir o arrepio e as tuas mãos, tu correspondeste.

Enquanto me beijavas uma mama apertavas a outra…e a vontade de me entregar para me sentires aumentava… estava tão molhada e em breve ias sentir o efeito que tinhas em mim. Não havia como disfarçar.

Começas-te por me tocar as coxas, as pernas…acariciavas-me toda enquanto me beijavas-me mais e mais, já só pensava quando ia sentir os teus dedos na minha cona… estavas tão perto! Baixaste as minhas cuequinhas e avançaste com os teus dedos até chegares a ela… eu suspirei de prazer antecipado!

Estava desejosa… e molhada, não conseguia esconder a excitação que me causavas e saber que tu ias sentir isso ainda me provocava mais desejo.

Miúda, é agora…hmmm

Os teus dedos deslizavam suavemente por entre os meus lábios, passaram pelo meu clitóris, até começar os começar a sentir na entrada da minha cona.

Com um beijo longo penetraste-me com um dedo que depois tiraste e partilhaste comigo. Sabias que eu gostava do meu sabor…

Voltaste a penetrar-me mais intensamente e depois provaste finalmente o meu sabor…vi a tua satisfação na forma como brilhavam os teus olhos… no escuro daquele banco de trás.

Passavam carros de vez em quando, uns para cima, outros para baixo. Estávamos a meio de um dia normal de trabalho no centro de uma cidade movimentada a viver mais uma aventura. A dose de excitação era redobrada pela situação.

Continua

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com