Surpreendida – Parte II

Ele sai rapidamente e fecha a porta. Eu fico imóvel, quero que o meu corpo volte ao normal e que o intenso calor passe antes de ser vista. Estaria alguém à espera de vez?

Tinha a cona a latejar e a cabeça no carrossel!

Levanto-me e ajeito o vestido, penteio o cabelo com as mãos e saio para ir ao lavatório lavar a boca.

Quando me preparava para regressar, já não tinha noção do tempo à que estava ausente, ele volta a aparecer.

Tinha os olhos brilhantes e estava completamente enlouquecido! Ri-me e disse-lhe

Nem penses

Não havia palavras que o demovessem e eu também não tinha sido convicente, mas estávamos a esticar os limites… hesitei…

Deixei-me levar! Voltámos à casa de banho de há pouco… e quase imediatamente já tinha a sua pila rija e pulsante a bater na minha cara, língua e garganta.

Desta vez a intensidade levou-o a agarrar-me contra ele e segurar-me bem enquanto me fodia a boca.

Eu sentia-me a sufocar e as lágrimas começaram a nascer nos meus olhos.

Ele deixou-me descansar por berves momentos… e voltou a segurar-me da mesma forma e eu olhei fixamente para ele! Ele viu o quanto eu estava a gostar e só dizia:

Puta!

Quando parou novamente, disse-lhe

Temos de parar! Já devem ter dado pela nossa falta!!

Ao que ele responde contrariado antes de se ir embora.

Puta quero-te tanto foder!

Volto a compor a roupa e saio da casa de banho tentando disfarçar o sorriso que tinha estampado na minha cara.

Vejo-me ao espelho e um pouco do rímel tinha borrado, limpo e aplico algum pó na cara, sacudo o cabelo e volto à sala com a minha postura habitual.

Sento-me na mesa, ele estava lá fora, e continuo uma conversa banal com uma outra colega. Fingido-me interessada no tema, só pensava:

Miúda, acho que ninguém deu por nada… será que desconfiam? Será que sonham? Bem, isso agora não interessa! Queres acabar de mamar aquele caralho e não passa de hoje.

O pós jantar estava a terminar e a grande maioria dos colegas foi indo para casa.

Entre os poucos que foram ficando planeavam-se agora as boleias.

Fiz-me de desinteressa das várias sugestões, até que ele me disse, queres vir comigo? Tenho o carro mesmo aqui à porta.

Sem mostrar grande entusiasmo disse

Ahh ok! Boa assim não tenho de andar muito. Estes sapatos estão a dar-me cabo dos pés

Saímos do restaurante e já estávamos no carro dele.

Olho para as horas, já era tarde e não me podia atrasar muito mais a chegar a casa. Digo-lhe sincera

Que pena… já é tão tarde…

Ele diz-me, enquanto arranca com o carro, vamos só a um sítio.

Ok, mas eu não me posso demorar muito, respondi.

Chegamos a um largo grande de estacionamento entre prédios e eu olho em volta desconfiada, ele diz-me que é tranquilo. Já era de madrugada mas podia estar alguém à espreita. Dados os acontecimentos daquela noite…who cares pensei.

Ele abre as calças e ela já está bem rija. Eu tiro o vestido e fico só de soutien e meias de liga, não tiro os sapatos porque adoro ver-me assim.

Ele chega o banco do condutor para trás e eu meto-me de gatas com os joelhos no banco do passageiro debruçada sobre ele.

Cheia de vontade volto a chupar-lo com intensidade, por momentos voltei à loucura da casa de banho.

O álcool estava a fazer o seu efeito nele e apesar da minha dedicação ele estava longe de se vi. Já era tarde e o meu tempo estava a esgotar-se! Pergunto sem vergonhas:

Vais-te vir querido?

Ele queria tanto vir-se que decidimos arriscar mais. Ele abre que porta do lado dele e sai, fica de pé com as calças abertas e o seu caralho rijo a chamar por mim do lado de fora do carro. Ficamos totalmente expostos a potencias mirones.

Avanço de gatas para ele e assim ele afunda-o na minha garganta uma e outra vez enquanto agarra bem os meus cabelos.

Fode-me a boca até terminar vindo-se bem dentro dela.

Ahhh que prazer eu tenho! Que loucura boa expostos assim na rua até gostava de estivessem a ver pensa a putinha dentro de mim.

Voltamos para dentro do carro e trocamos um beijo carinhoso… apercebo-me que nunca nos tínhamos beijado antes… volto a beijá-lo intensamente enquanto lhe acaricio o peito!

Sem falarmos compomos a roupa e arrancamos.

No caminho para casa só pensava que estava morta de curiosidade para saber as fofocas do jantar próprias do dia seguinte e só rezava não ter marcas no corpo!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Surpreendida – Parte I

Recebi uma mensagem que dizia:

Vou guardar lugar para ti ao meu lado no jantar, não leves cuecas.

Percebi que ele já sabia que também ia ao jantar da empresa. Fiquei entusiasmada e ao mesmo tempo um pouco receosa.
Gosto de cultivar uma imagem de inatingível e sei que me consideram arrogante o que mostra que tenho sucesso. Contudo tenho de ter cuidado.

Cheguei um pouco mais tarde pois tive alguns emails para responder, mas vi o lugar vazio que me esperava e o brilho nos olhos dele.
Aposto que estava morto para saber se tinha cumprido o seu desejo.

Cumprimento os colegas e faço-me de surpreendida, vou aproveitar o lugar vazio então, digo eu.
(Adoro este papel)

O jantar está a decorrer animadamente, e eu mantenho-me de lado a falar com outros colegas, evitando de propósito mostrar intimidade com ele.

Após alguns brindes começo a sentir-me mais leve e ele surpreende-me ao colocar a mão dele na minha coxa, apertando-a levemente.
Acho que ele já estava mais tocado do que eu.

Olho em volta um pouco tensa… será que alguém viu?
A adrenalina da situação começava a bombar dentro do meu corpo, ninguém sabia do nosso entendimento fora da relação profissional e confesso que tinha um gozo extra em manter uma postura distante ao mesmo tempo que me sentia molhada entre as pernas.

O dia tinha sido um intenso tease de sexting e estava ansiosa por continuar a provocação e saber onde ela nos ia levar.

Ele começa num flirt com outra colega e eu faço-me despercebida… aproveito para encher o meu copo de vinho.
Com o jantar a chegar ao fim começa aquela movimentação de cadeiras e mudanças de lugar, alguns colegas vão à rua fumar. O ambiente era descontraído e a noite ainda agora começava, uma vez que o restaurante ia estar por nossa conta.

Levanto-me para ir à casa de banho, estava com calor, queria refrescar-me e retocar o bâton.
Quando estou a sair para retornar à sala ele aparece de repente e empurra-me novamente para a casa de banho e fecha a porta atrás dele.
Digo-lhe nervosa:

Estás louco? E se alguém nos vê?

Ele faz-me “shiuu” e começa a abrir as calças, eu sento-me sobre o tampo da sanita claramente surpreendida com a audácia. Não tinha ainda a certeza da loucura… mas que me deixou muito excitada tinha de admitir.

Anda puta, queres senti-lo na tua boca não queres? Anda chupa-me!

Dizia ele enquanto se encostava a mim e me esfregava o caralho na cara. Estava cheia de vontade mas queria que ele puxasse por mim…
Ele então agarra-me e empurra-se contra a minha boca, forçando-se a entrar!

Deixo as minhas mãos em baixo penso não lhe quero fazer uma mamada… quero que ele me foda a boca!
Ele entao segura a minha cabeça com firmeza e enfia-me o caralho rijo bem fundo, sinto-o a bater na minha garganta!
Olho para ele e sem falar instigo ainda mais a loucura, ele penetra-me intensamente mais 3 vezes e larga-me.

Afasta-se e começa a fechar as calças, eu estou meia decomposta, sentada, ainda ofegante a olhar para ele enquanto mordo o lábio… estava sedenta de mais!

Continua

Nós e o mar – Parte II

O empregado regressa e trás o que tínhamos pedido, vejo que a minha companhia de almoço lhe faz um sinal e ele retira-se.

O ambiente era estranhamente calmo e comento isso com ele ao que ele responde. “Querida, tenho uma surpresa preparada para nós… o que achas se eu te dizer que estamos sós?”

Eu questiono:

“Sós? Como assim?”

Ele: “Sim, totalmente sós… tomei a liberdade de reservar este sítio para nós para as próximas horas, temos os nossos pratos lá dentro se preferires almoçar…”

Eu não sabia bem o que pensar… que situação inesperada e tão deliciosa!

Levanto-me e dou uma volta pela esplanada, espreito os vários ângulos e de facto apenas se ouvia o mar e as gaivotas… mais nada.

Debruço-me na esplanada e sinto-o a chegar até junto a mim…Ele coloca um braço na minha cintura e puxa-me pela anca para ele, sinto-o duro debaixo das calças.

Ele levanta-me a saia e aperta-me vigorosamente o rabiosque e com uma mão dá-me uma palmada. Eu não consigo conter o suspiro de prazer!

Pergunta-me “Queres que continue?” e eu respondo

“Sim…claro que sim!”

Ele segura-me pela mão e leva-me até uma mesa, senta-me lá e beija-me com intensidade ao mesmo tempo que com as mãos afasta as minhas cuecas já molhadas, passa os dedos pela boca e suavemente enfia primeiro um dedo e de seguida outro!

Quando eu já estou completamente rendida, ele tira-me as cuecas e abrindo bem as minhas pernas baixa-se e de joelhos devora a minha cona enquanto me continua a penetrar com os dedos… Uma delícia! E que orgasmo tão intenso!

Tudo parecia surreal e ao mesmo tempo não queria que acabasse!

E não ia acabar… ele tinha mais para me dar!

Beijou-me e eu senti o meu sabor… aquele salgado que eu conheço tão bem!

Disse-me “Posso?” e virou-me de costas agarrando a minha anca vigorosamente e penetrou-me ora intensamente ora devagar. Entrava e saía de dentro de mim, ficando momentos a acariciar as minhas coxas e o rabo. Isso estava a deixar-me louca… disse-lhe perdendo toda a timidez

“Fode-me com força!”

Ele responde “Estava à espera que te soltasses! Eu sempre soube como tu ias querer ser fodida”

Aquela convicção não deixava de me surpreender… como saberia ele o que mais me agradava? Fodeu-me com intensidade até ao gemer

“Ahh vou-me vir”

O orgasmo foi intenso e deixou-me muito satisfeita.

Achava que todo o planeamento e dedicação para me dar aquele momento inesquecível merecia uma recompensa. Digo “Mete-o na minha boca! Quero-te chupar todo!”

Meti a sua pila bem rija na minha boca, cheia do meu sabor, e dediquei-me a retribuir, enfiei-o bem fundo na minha garganta… e fixei-o enquanto sentia os meus olhos a ficarem molhados… É uma tesão inexplicável e receita certa para dar é um intenso e grande orgasmo!

Ele faz-me sinal que se vai vir e retirei-o da minha boca e com suavidade dei os toques finais até começar a sentir o líquido quente e espesso nas minhas mamas.

Ele puxa-me para cima e beija-me… e diz-me carinhosamente “Foi tudo como imaginei. Obrigada por seres uma mulher especial! Vamos então almoçar e trabalhar?”

Virei-me para o mar e inspirei fundo. Seria tudo um sonho?

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Citação

SEXTING COM A – PARTE VII


A: Tens te tocado a pensar em mim?
Ela: Confesso que sim
Ela: No duche
A: Eu também penso em ti no duche
Ela: Imagino-te dentro de mim
Ela: Eu de costas
Ela: Tu agarras-me com força
A: Onde?
Ela: E entras com forca
A: Gosto de foder com força
Ela: É como eu gosto mais
Ela: Gosto de intensidade
A: Confesso que sou intenso…
Ela: Também vou gostar de te chupar
Ela: Até te vires na minha boca
A: Estou desejoso
A: Adorava um broche agora
A: Que fazes logo?
A: Estou solto e vou a uma festa
A: Podias aparecer para chupa-la
Ela: Chupava-te todo com gosto
Ela: Sei q gostaste
A: Siiimmmmm
A: E tu também
A: Puta doida
A: Só de pensar fico com tesão