GENTLEMAN – PARTE III

Vamos arrefecer no chuveiro gelado mais um vez, particamente não era preciso sequer toalha! Deixo-me cair na cama e ele junta-se a mim trazendo os nossos copos de vinho devidamente reabastecidos e frescos.
Neste momento só pensava que tinha um compromisso para jantar que não queria faltar mas que me estava a causar uma ansiedade pois também não me queria ir embora.

Seria um ótimo plano passarmos a noite a foder! Ele iria com certeza recuperar os seus dias de abstinência e eu adoro maratonas de sexo caseiro.
Ficámos deitados algum tempo a conversar até que me levanto para me recompor e vestir. Tem de ser! Compromissos são compromissos e não gosto de deixar amigas penduradas à minha espera.

Visto-me e vou até à casa de banho para me retocar, tentar limpar os vestígios do rimmel borrado e dar um ar menos rosado à minha expressão, à famosa cara de sexo!
Enquanto me estou arranjar ele, apenas de toalha à cintura, chega-se a mim e beija-me o pescoço enquanto me agarra com força as ancas e o rabo.
Levanta o vestido e puxa-me as cuecas, vejo que tinha um preservativo bem à mão no móvel da casa de banho.
Penso:

Malandro! Tens esta na manga desde que saímos do banho!

Mete a proteção com boa destreza e enquanto o vou olhando nos olhos pelo espelho penetra-me rapidamente e forte!
Que tesão! Eu tenho a minha dose de tara por espelhos. Ver-me ser fodida, a ficar vermelha e olhar bem nos olhos dele foi intenso e muito bom.
A chamada rapidinha inesperada é das fodas tesudas que se podem dar!

Agarro-me com força ao lavatório enquanto ele segurando a minha anca me fode com intensidade até me vir! Ahhhhhhh
Ele vêm-se quase a seguir!

Que bela despedida! Agora estava ainda mais difícil de sair dali, do covil do lobo, com o seu vinho fresco e mel.

A armadilha perfeita. 3-3
Viro-me para ele e beijo-o ternamente, tinha de ir. Recomponho o vestido
Ele leva-me até à porta e com a mão na minha cintura diz que gostou muito! Beijámos-mos mais uma vez e com visível dificuldade eu viro-me e vou-me embora.

Desci as escadas do prédio lentamente e com um sorriso rasgado. Será que o verei outra vez?
Vou ter com as minhas amigas a mil que já me esperavam ali perto,

Desculpem! Tive um imprevisto! Vamos jantar?!

Pisquei o olho à minha cúmplice!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Surpreendida – Parte I

Recebi uma mensagem que dizia:

Vou guardar lugar para ti ao meu lado no jantar, não leves cuecas.

Percebi que ele já sabia que também ia ao jantar da empresa. Fiquei entusiasmada e ao mesmo tempo um pouco receosa.
Gosto de cultivar uma imagem de inatingível e sei que me consideram arrogante o que mostra que tenho sucesso. Contudo tenho de ter cuidado.

Cheguei um pouco mais tarde pois tive alguns emails para responder, mas vi o lugar vazio que me esperava e o brilho nos olhos dele.
Aposto que estava morto para saber se tinha cumprido o seu desejo.

Cumprimento os colegas e faço-me de surpreendida, vou aproveitar o lugar vazio então, digo eu.
(Adoro este papel)

O jantar está a decorrer animadamente, e eu mantenho-me de lado a falar com outros colegas, evitando de propósito mostrar intimidade com ele.

Após alguns brindes começo a sentir-me mais leve e ele surpreende-me ao colocar a mão dele na minha coxa, apertando-a levemente.
Acho que ele já estava mais tocado do que eu.

Olho em volta um pouco tensa… será que alguém viu?
A adrenalina da situação começava a bombar dentro do meu corpo, ninguém sabia do nosso entendimento fora da relação profissional e confesso que tinha um gozo extra em manter uma postura distante ao mesmo tempo que me sentia molhada entre as pernas.

O dia tinha sido um intenso tease de sexting e estava ansiosa por continuar a provocação e saber onde ela nos ia levar.

Ele começa num flirt com outra colega e eu faço-me despercebida… aproveito para encher o meu copo de vinho.
Com o jantar a chegar ao fim começa aquela movimentação de cadeiras e mudanças de lugar, alguns colegas vão à rua fumar. O ambiente era descontraído e a noite ainda agora começava, uma vez que o restaurante ia estar por nossa conta.

Levanto-me para ir à casa de banho, estava com calor, queria refrescar-me e retocar o bâton.
Quando estou a sair para retornar à sala ele aparece de repente e empurra-me novamente para a casa de banho e fecha a porta atrás dele.
Digo-lhe nervosa:

Estás louco? E se alguém nos vê?

Ele faz-me “shiuu” e começa a abrir as calças, eu sento-me sobre o tampo da sanita claramente surpreendida com a audácia. Não tinha ainda a certeza da loucura… mas que me deixou muito excitada tinha de admitir.

Anda puta, queres senti-lo na tua boca não queres? Anda chupa-me!

Dizia ele enquanto se encostava a mim e me esfregava o caralho na cara. Estava cheia de vontade mas queria que ele puxasse por mim…
Ele então agarra-me e empurra-se contra a minha boca, forçando-se a entrar!

Deixo as minhas mãos em baixo penso não lhe quero fazer uma mamada… quero que ele me foda a boca!
Ele entao segura a minha cabeça com firmeza e enfia-me o caralho rijo bem fundo, sinto-o a bater na minha garganta!
Olho para ele e sem falar instigo ainda mais a loucura, ele penetra-me intensamente mais 3 vezes e larga-me.

Afasta-se e começa a fechar as calças, eu estou meia decomposta, sentada, ainda ofegante a olhar para ele enquanto mordo o lábio… estava sedenta de mais!

Continua