Sex Doll – Parte II

Sentia-me bem, sexy e segura.
Ele começa a colocar as correias de pele nos meus tornozelos e com uma corda prende-as aos ganchos das correias e depois aos pés da cama, deixando-me aberta e imobilizada.
Pára por um momento para me beijar e pergunta-me se estou confortável e se gosto de me ver.
Respondo simplesmente com um sorriso rasgado. Ele diz-me para levantar a cabeça para me colocar uma coleira no pescoço, e depois prende-me também à cama com a cabeça de lado, com vista privilegiada para o meu reflexo.
Por fim prende os meus pulsos da mesma forma, puxando os braços para o fundo da cama.

Sinto um friozinho bom na barriga e após terminada a tarefa de me prender, beija-me novamente. Sei que quer ter a certeza que estou confortável. A primeira foda é como a primeira impressão, sela o destino de encontros futuros.
Volta para os pés da cama e agora aprecia o meu rabo, mordendo-o de leve à volta das nádegas , abrindo e beijando-o. Sinto a sua língua a percorrer o meu cu e também umas lambidelas longas que começam na cona e terminam no meu cu.

Comenta numa excitação contagiante

És tão boa, o teu cu é perfeito e lindo! Mesmo, apetece mesmo beijar e enfiar a língua.

Se não estivesse já corada diria que ficaria rosada com tamanho elogio.

A sensação de exposição e o meu reflexo eram super excitantes e juntando isso às carícias que já tinha recebido estava a explodir de tesão e desejosa de ser penetrada no cu e na cona.
Mas estando presa, estava sujeita ao plano dele. Ele afasta-se de mim e vai até ao WC, ao regressar beija novamente o meu cu e após uma ultima chupadela, coloca um gel fresco antes de lhe enfiar um plug que desliza rápida e suavemente causando-me um calafrio e me aumenta a tesão. De seguida cola um pedaço grosso de tape preta de forma a garantir que o plug se iria manter no sítio enquanto me fodia, libertando assim as mãos para me agarrar. Achei engenhoso.

Ele vem até mim e ao meu ouvido pergunta:

Estás desejosa que eu te foda não é?

Respondo rapidamente pedinchando

Sim, quero muito, fode-me toda!

Ele beija-me carinhosamente na cara e contorna a cama até chegar a mim e me penetrar intensamente e sem hesitações enquanto empurrava bem o plug.
A antecipação do momento, a sedução da sua orientação ao longo da noite, a excitação da posição vulnerável e as penetrações fortes e profundas na cona enquanto sentia o meu cu cheio provocaram-me um intenso orgasmo!

Pelo espelho pude trocar olhares com ele e satisfeita relaxo o corpo quando ele me começa a desprender.

Retira a tape e o plug e eu estico-me na cama e rolando sobre mim mesma volto-me para cima, esperando que ele subisse para a cama para continuarmos a foder agora olhos nos olhos.
Estávamos suados e rolávamos na cama em várias posições trocando beijos molhados enquanto fodíamos intensamente. Fui sempre delirando a cada vez que me podia ver no espelho a ser bem fodida.

Sentia-me satisfeita e a ficar com água na boca para sentir o seu leite quente, já estava a ressacar de o sentir na minha boca. Digo-lhe então

Vem-te na minha boca!

E desço para o chupar, sem pressas e com dedicação até sentir a minha boca a encher abundantemente com o seu leite morno, sinal de prazer e de missão cumprida!
Deito-me ao seu lado, a recuperar o folgo trocando mimos.

Exaustos mas ternos num longo abraço, assim ficamos até arrefecer.
Por fim levantámo-nos, já era tarde e a barriga pedia conforto e vestindo uma t-shirt dele fomos até à cozinha partilhar uma torrada com manteiga e mel enquanto íamos trocando elogios da nossa bela noite.
Ouvi com satisfação um –

Adorei ver o plug a ser engolido pelo teu cu bom.

Que será que me espera nos próximos episódios? Estou desejosa de ser a sua boneca.

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Vídeo

I could be your fantasy

Viciada e já na playlist Bring Sex Back

So you say you wanna get away
We don’t need a plane
I could be your escape
Take you to a place
Where there’s no time, no space
I could be your private island
On a different planet
Anything could happen
Listen to the waves
Let them wash away your pain

I could be your fantasy
I could be your fantasy
Underneath the palm trees
You could leave your worries
Listen to the waves
Say you wanna get so high?
Breathe me in like air tonight
Listen to the waves
I could be your fantasy

So you say you wanna get so high?
Breathe me in like air tonight
Let yourself unwind, get lost
In the garden of my mind
I could be your private island
Underneath the palm trees
You could leave your worries
Listen to the waves
Let them wash away your pain

Vídeo

Sensual Miami roller-disco… HOT

A música já estava na minha playlist BSB mas hoje lembrei-me de partilhar o seu videoclip que para além de hipnotizante é super sexy e liga na perfeição com a batida da música!
O francês ainda é uma língua de lúxuria! Damnnnn

Sobre a música:
Brigitte, aka the disco-charged Parisien duo Sylvie Hoarau and Aurélie Saada, seek to tap into the era of Studio 54 to find a gaze that was not exclusively filtered through male eyes in the video for “J’sais Pas.”

Sobre o vídeo:

“Sylvie and I wanted to show a feminine view about sex and women: something hypnotic, sensual, but not vulgar. To see this girl just riding in the street, filming her little shorts, her ass. This is the paradox of women: we like to see a sexy girl, also.”

We shot in Miami among the coconut trees and the pink flamingos. I wanted to film a roller-skating girl from the back, without showing her face because she is an everywoman. It was not easy to find a girl who rollerskates, most people rollerblade today. She is just a girl on the street. I didn’t want to have a model with skinny legs. I wanted to have a real woman

.

Vídeo

A mulher e a serpente…

O título é AUTOEROTIC e sem dúvida cumpre o seu propósito… a forma elegante como ela se move e se enrola com a serpente é super erótico de facto.

A descrição também tem o seu charme
“A beautiful, restricted and groomed woman dances ecstatically in an elegant weave with a serpent. Every day, for a brief moment, this beautiful woman permits herself, whether by her own consciousness or by the nature of her being, to indulge in the sensuality of life, and embrace a moment of awakening by shedding herself from reality into an autoerotic fantasy.”
canevgin.net