Yes Captain! – Parte I

Combinámos um almoço para nos conhecermos. Essencialmente eu queria comprovar a imagem que tinha feito dele e conhecer um pouco mais da persona que me estava a intrigar.

Atitude e confiança são as qualidades que mais aprecio num homem e ele parecia esbanjar isso, tanto, que no caminho após o nosso almoço adorei que ele me tivesse puxado para dentro de um prédio que tinha a porta entreaberta e, no vão das escadas, me tivesse metido os dedos na cona… Eu estava encharcada!

Quando nos despedimos, chupei-lhe o dedo com o meu sabor, pisquei-lhe o olho e fui-me embora. O apetizer estava servido e faltava agora agendar o menu completo.

Marcámos, então, um novo encontro pouco tempo depois. Ele apanhou-me de mota e fomos até um motel no centro da cidade. Como não sabia que ia andar de mota, tinha um vestido curto e senti-me uma exibicionista no caminho até lá, ele desvalorizou e disse-me para aproveitar a liberdade.

Ia excitada por me mostrar assim e ao mesmo tempo receosa por poder ser reconhecida.
Chegámos à receção e escolhemos um quarto, com o tema Love: cama vermelha em forma de coração, espelhos nas paredes e por cima da cama. Agradavelmente surpreendida, entrei e senti-me a descontrair.

A conversa entre nós fluía facilmente. Pousámos as nossas coisas num canto, beijámo-nos e ele perguntou-me se queria um pouco de rum para relaxar, molhei os lábios mas disse-lhe que não precisava… Não me sentia nervosa.
Os beijos dele eram muito envolventes, sem hesitações e muito molhados.

Sentei-me na cama… Tirei as sandálias e esperei que ele se juntasse a mim. Ele passou as suas mãos grandes pelo meu corpo e eu tirei o meu vestido, fiquei apenas de cuecas e soutien enquanto ele continuou as carícias sedutoras.
Passou a mão por dentro do meu soutien e senti os meus bicos rijos a ansiar pela sua língua fresca e húmida.

Tirei o soutien e ele beijou e chupou as minhas mamas enquanto afastava as cuecas com a mão e passava os dedos na minha cona molhada, primeiro por fora e depois penetrou-me com firmeza. Gemi de prazer.
Gosto de ser descoberta pela primeira vez… É uma excitação irrepetível.

Ele despiu-se completamente e tirou uma caixinha de metal das suas coisas que deixou em cima da cama, lá de dentro, retirou um elástico que colocou na base do seu caralho ainda em repouso… Olhei gulosa e cheia de vontade de o sentir a crescer na minha boca.
Mas antes ele queria dar-me prazer… Chupar-me bem.

Então deita-me na cama e abre-me bem as pernas, a sua barba aparada aumentava a intensidade do toque, e com a sua língua percorre os meus lábios e a entrada da cona… Agarro a almofada da cama enquanto me contorço de prazer. Chupa-me o clit e toda eu tremo ao mesmo tempo que me enfia na cona os 2 dedos longos e com a outra mão pressiona o papo…

Este sabe alguns truques…

Pensei, já que aquele movimento aumenta a intensidade e o prazer, lembrei-me que ele referiu ser especialista em squirters. Seria hoje que teria a minha estreia?

Nas nossas conversas tinha-lhe dito que já não fazia anal há algum tempo e que nunca me tinham lambido o cu… Era, portanto, praticamente virgem! Claro que isso o entusiasmou e, antes mesmo de entrar naquele quarto, já esperava pelas carícias e estava cheia de vontade de dar o cu para ele se deleitar.

Para me deixar a jeito, ele colocou uma almofada por baixo das minhas ancas… Assim estava toda exposta: cona e cu.
Senti, então, pela 1° vez a sua língua naquele ponto sensível, relaxei e desfrutei das novas sensações.

Enquanto passava a língua, agora na cona, senti o primeiro dedo a entrar no cu… alternado com dedo na cona. Muito bom. Levantei a cabeça para olhar para ele, mordi o lábio e sorri satisfeita.

Voltei a recostar-me e olhei para o espelho do teto, que bela imagem, e fiquei a apreciar por momentos a forma como os nossos corpos se dispunham na cama

A intensidade da sua língua, em conjunto com a sua habilidade de mãos está a levar-me ao ponto! Agarro nos seus cabelos e aperto-o…

Ahh vou-me vir! Ahhh

Ele chupa-me ainda mais. Que orgasmo intenso!!
Rio-me. Para mim sexo é diversão e prazer.
Ele levanta-se e tira da sua caixinha uma saqueta de gel lubrificante que me deu uma sensação de frescura maravilhosa à cona, enquanto me voltava a penetrar, ora na cona, ora no cu…

Continua

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

11 thoughts on “Yes Captain! – Parte I

Deixar uma resposta