Take me for a drive

O convite para jantar veio com instruções detalhadas, saia justa, casaco e luvas de pele, sapatos pretos com tachas metálicas e salto fino e cuecas reduzidas para deixar a cona e o cu acessíveis.

Claro que fiquei logo entusiasmada com o desafio e alinhei sem hesitar.

Combinada a hora e o local do encontro estava pronta mas ainda não fazia ideia do destino e sendo honesta, também não era importante.

A adrenalina vem também de me entregar a aventuras e ele sabendo disso fazia por me estimular.

Entro no carro e arrancamos para o nosso destino, ele estava também vestido de leather esbanjando ares de macho.

As luvas de pele que tanto aprecio nele deixam-me excitada com o pensamento de as sentir em mim, de as cheirar e apreciar.

Enquanto rolamos calmamente para fora da cidade apertamos as mãos com força, gosto deste toque e sinto-me a corar.

Sabia que haveria uma surpresa e ansiava por ela.

Saímos da estrada em direcção a uma estação de serviço e percebo que estamos à procura de uma zona menos movimentada para uma paragem estratégica.

E por trás de uma zona de lavagens auto, encerrada aquelas horas, paramos o carro. Vemos carros a passar a espaços mas sentimo-nos fora do radar para quem está de passagem em direcção à estrada principal.

Saímos do carro e encostados à minha porta beijamos-nos e ele diz para me inclinar para dentro do carro, deixando o cu de fora e bem empinado.

Fecha os olhos

Diz ele ao meu ouvido.

E assim faço, coloco-me de gatas no banco do carro, com o rabo espetado e já a sentir calor na minha cona.

Claro que esta posição aliada à expectativa do que me esperava me deixou molhada.

Ouvia-o a mexer em coisas e soltava risinhos nervosos. Gosto segurança que a sua postura me transmite.

Abanava o meu rabo levemente demostrando que estava bem disponível para a play que me esperava.

Por fim ele dá como terminados os preparativos e puxa a saia para cima. As cuecas eram mínimas e atrás nada mais que um mero fio entre as nadegas, fácil de afastar.

Ele lambe-me o cu e cona de uma passagem, fresca deixando-me com vontade de mais.

Depois com os dedos enluvados massagem o meu cu para o descontrair e quando me sente pronta penetra-me com um dildo!

Sinto o arrepio e o meu cu a relaxar! De seguida penetra-me a cona com um outro dildo, um que tinha também uns tomates, sentia-os nos lábios da cona!

Ele inclina-se sobre mim e diz

A putinha gosta de estar toda preenchida não é?

Eu rio-me e viro-me para o beijar, nisto passa um carro devagar, será que nos viram? A ideia não só não me incomoda como me diverte. Senti-me devassa, com um dildo enfiado no cu e outro na cona no meio de uma estação de serviço a horas do jantar.

Ele tinha pensado noutro detalhe, tirou um rolo de tape preta e disse-me que quer garantir que eles ficam no lugar durante a viagem.

E empurra-os bem nos buracos para depois os colar com a grossa fita cola, de uma nádega até à outra.

Terminado o serviço, volta a puxar a saia para o lugar e beija-me demoradamente enquanto eu dengosa retribuo os carinhos.

Passa-me pela cabeça que ia gostar de ser fodida com força naquele momento.

Voltamos ao carro e eu ajusto-me no banco, a cada movimento sentia prazer.

Queria muito retribuir e olho para ele com olhos de quem o quer chupar… ele sabe bem como eu gosto e põe-se a jeito, abrindo as calças.

Eu inclino-me para o lado e começo a lambê-lo suavemente, como quem beija. Gosto de sentir um caralho a ficar rijo na minha boca é mãos. E não tem de ser depressa, sentir o pulsar suave enquanto o envio até à garganta é maravilhoso.

Começo a chupar o seu caralho agora rijo, com vontade e por momentos viro a cara para ele é olho-o nos olhos. O cúmulo da tesão e muitas vezes um simples olhar.

Dedico-me a chupa-lo com intensidade enquanto ele conduz, sinto ainda cona e cu a latejar e vou-me ajeitando! Estou a ser preenchida em todos os buracos! Cona, cu e boca!

Nem damos pelo tempo passar, estamos a chegar ao destino!

Levanto-me e beijo-o rapidamente, encosto-me no banco e aperto as coxas enquanto suspiro!

Que bela surpresa!

Paramos o carro no restaurante e saímos, eu digo que é melhor tirar isto pois assim não sei se consigo jantar e ele ri-se!

Tirando a fita cola e depois os diodos ele mostra-me o que tinha usado em mim! 2 dildos com um tamanho bem interessante!

Vê bem o tamanho deles! E não te custou nada!

Rimos e após arrumar os adereços damos um abraço forte, entrelaçamos as mãos enluvadas e vamos jantar como um casal quase banal!

If only they know….

2 thoughts on “Take me for a drive

Deixar uma resposta