QUARTO 311 – PARTE II

Passa a sua língua de baixo para cima mais umas vezes e volta a foder-me com os seus dedos.
Penetrando-me fundo e com força durante algum tempo, mantenho o meu rabo empinando até sentir aquele formigueiro a subir! A sua dedicação era exemplar.

Vou-me vir!

Aperto as coxas com os dedos dele ainda dentro de mim e depois deixo-me cair na cama relaxada.
Rodo a cabeça para o ver, ainda de pé junto do fundo da cama, eu suada, nua e ele ainda completamente vestido, a observar o seu brinquedo.
Estava já solta e sem pingo de vergonha, sentei-me na beira da cama com ar sedento, boca entreaberta e a língua a percorrer os lábios. Puxo-o para mim e juntos começamos a despir-lhe as calças e depois os boxers, ele também tira a camisa.
Ainda mole, passo a língua no pau dele. Embora esperasse que as nossas actividades iniciais o tivessem deixado duro, também gosto de ter total controlo e começar por chupar mesmo quando está mole e sentir o sangue a subir até que se torna grande e rijo, preenchendo-me bem a boca.
Chupo-o todo e naquele estado consigo facilmente enfia-lo até à garganta. Começa a dar sinais de despertar é isso motiva-me a chupar com mais intensidade e cuspi-lhe um pouco.
O meu lado mais cerebral dizia-me…

Hmm como é que ele não está verdadeiramente duro ainda, estarei a perder qualidades?

De facto fazia já algum tempo desde que não fazia um broche, mas penso que a técnica não se perde, talvez a resistência sim, mas a técnica não.
A química não estava a fluir como eu desejava, mas também sei que por vezes surge durante o momento da penetração por ser mais íntimo. Ele vira-se ligeiramente para trás para apanhar a caixa com preservativos e a minha mente navega já até ao intenso momento da primeira penetração.

Aí sim, tudo vai melhorar, pensei e enquanto o olhava gulosa e me deitava na cama virada para cima abrindo as pernas de forma provocadora.
Ele parece colocar o preservativo sem grande dificuldade e lança-se sobre mim mas a penetração não acontece pois toda a firmeza se foi nuns segundos.
Ele ainda volta a tentar segurando bem o pau agora adormecido, eu tento também encaminhar para o sítio do meu prazer, mas desistimos.

Odeio preservativo!

Diz ele frustrado.
Eu deixo-me ficar calada e olho-o de forma compreensiva. Não posso negar que não me deixe frustrada também pois após um primeiro fracasso dificilmente há regressos, contudo suspeito que não teria sido inédito ou então lidava bem com a situação pois mostrou vontade de me continuar a acariciar.
Deitou-se na cama e eu rolei de lado e encostei-me a ele beijando-o intensamente. Os seus beijos eram curtos mas eu puxei por ele, gosto de beijos com língua, saliva e dedos pelo meio.
Voltou a penetrar-me com os dedos, desta vez fazia-me tremer enquanto estava dentro de mim, vibrando a sua mão, passa os dedos em volta do meu clitóris e eu digo-lhe que é como me venho mais vezes quando me masturbo. Ele sabia agora o meu truque e massajando, com vigor, os seus dedos esticados sobre o meu clitóris faz-me vir intensamente.
Senti uma descarga de electricidade a percorrer todo o meu corpo e após a contorção de todos os músculos do meu corpo sinto um relaxamento geral e uma leveza.

Sentiste? Até dei choque!

Disse entusiasmada.
Não… Mas mostra-me então que agora sim estava duro, extremamente duro.Não com o meu toque nem com a minha boca, mas sim com o meu orgasmo.
Aproveitou o momento para voltar a colocar um preservativo e disse-me para me meter de quatro. Assim fiz, esperei e quando não senti o que esperava deixo-me cair na cama e viro-me para o ver.
Tento ainda dar umas chupadelas e carícias por cima da borracha mas já não havia salvação.
Apesar de me sentir confusa, tento manter um espírito descontraído quando ele se volta a deitar. E entre beijos pelo seu corpo e vou descendo até o enfiar novamente na boca.
Do mole ao duro em algumas sucções. Alternando entre chupadelas na cabeça e enfiando-o bem fundo da minha garganta, ele coloca as suas mãos na minha cabeça, momento em que percebo que se vai vir. Prendendo-me a cabeça em baixo eu aguento sem respirar enquanto ele geme e se contorce.

Quase não senti o sabor do leite uma vez que ele se veio bem dentro na minha boca, já na garganta.
Senti que agora podíamos relaxar e aproveitar o tempo que nós restava para descontrair, queria conversar com ele pois falámos por mensagens durante algum tempo e gostava da nossa conversa intelectual. Fugia ao banal do costume. Gosto dos momentos após sexo em que a conversa flui, a tesão e a tensão dão lugar a sintonia e partilha e a novas sessões de sexo.

Vou dar umas braçadas à piscina para aproveitar o hotel, tens até que horas?

Engoli em seco. E na minha personagem mais natural digo-lhe que ainda tenho algum tempo, mas não a noite toda. Pareceu-me que tinha feito passar a mensagem.
Ele desfaz então as minhas expectativas quando me diz que como não tinha internet no quarto teria de ir ao centro comercial para terminar e enviar um trabalho, tinha coisas para fazer portanto e eu não estava incluída no programa.
Como me julgo perspicaz, percebi que a situação estava esgotada e disse-lhe que iria retocar-me e depois seguia o meu caminho.
Ele veste os calções e uma camisa e dá-me um beijo. Indiferente à minha linguagem corporal que estava incrédula com o desapego. Assim que ele sai do quarto vou ao duche, passar-me rapidamente por água, e visto-me de seguida. Antes de sair Deixo-lhe um bilhete de despedida educado no bloco de papel com o monograma do hotel e saí.

Entre várias explicações para um final destes estará algum desconforto com a sua performance ou o arrependimento por ter namorada, quero acreditar.
Seja qual for a explicação, foi uma confirmação de que para mim uma aventura não se limita a sexo vazio, já fiz e vivi bastante para saber isso, procuro momentos de ligação muito para além disso.
Aprecio o companheirismo e o momento de relaxamento pós loucura, mesmo que saiba naquele momento que não vou voltar a estar com essa pessoa novamente. Faz parte de mim e da minha história e por isso é relevante. Aceito também que ele seja obrigado a dar mais do que quer ou consegue, mas eu por vezes é nesse momento que me apercebo que dou muito de mim e como resultado fica um vazio de não retribuição.
Mas apesar desta reflexão mais séria e que é também o espelho do profundo da minha alma, gostei do desafio intelectual das interações com ele e sobretudo de um orgasmo electrizante que se dedicou a proporcionar..
E no fundo, no fundo a dúvida que fica no ar é

Quem seria a Ana Osório?

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Gentleman – Parte II

Ele pega na caixinha com o brinquedo que tinha ficado em cima da mesa e abre-a retirando o golfinho e ao carregar no botão ficámos com a certeza que já tinha pilhas e tudo!

Ele volta a sentar-se no sofá e eu fico de joelhos inclinada sobre ele e recomeço a chupar. Ele vai-se deitando no sofá para que a posição fosse a ideal para uma garganta funda e também para ele colocar a mão dele entre as minhas pernas e iniciar a massagem de prazer.

Estava excitadíssima, adoro o gag quando enfio um pau duro todo dentro da minha boca. Os olhos a encherem-se de água e prazer de enfiar e tirar da garganta. Isto acompanhado por uma vibração suave na minha cona.

Eu sentia os dedos dele e o bichinho a vibrar e claro eu também me esfregava com vontade.

Parei de o chupar para o olhar intensamente e perguntei-lhe

Queres te vir na minha garganta?

Ele estava já a rebentar e confesso eu também estava ansiosa, queria sentir o leu leite quente na minha boca.

Volto a debruçar-me sobre ele e enfio-o todo bem fundo na minha garganta. Ele vibra de prazer e agarra-me a cabeça, dando-me o sinal de que se ia vir e eu aguento o máximo até o sentir a aliviar-se mesmo no fundo da minha boca. Deep troat with happy ending!

Satisfeita recomponho-me e respiro. Tanto calor naquela sala!

Lembro-me então que estava maquilhada por isso enquanto ele entrava na banheira para se refrescar eu vejo-me ao espelho. O rímel escorria dos meus olhos e por incrível que pareça acho-o sexy por ser o resultado da intensidade e entrega.

Limpo-me e salto para a banheira para me arrefecer também e junto-me a ele já no quarto.

Ele estava deitado sobre a cama e assim ficámos em modo carícias e mimos para recuperar alguma energia e claro ele voltar a ficar bem rijo para me continuar a foder.

Ele passa os seus dedos pelas minhas costas e eu vou curvando o meu corpo para me mostrar dengosa e sedenta. Digo-lhe

Adoro massagens…

Dá-me imensa tesão e é sempre tempo bem empregue.
Ele então aumenta a intensidade de caricias para um amasso que começava por cima, pelo pescoço e ombros e terminava no fundo das minhas costas.

Voltou a deitar-se ao meu lado e eu virei-me para ele para nos beijarmos.

Pensei imediatamente

Hmmmm quem está em pé novamente? Hmmm vamos ao round 2

Sento-me na cama e não resisto a mais uma chupadela rápida. Ele coloca o preservativo e eu deito-me para trás e abro as pernas… quero sentir a penetração devagar mas intensa e os nossos corpos a colar.

O calor infernal mantinha-se e apesar dos duches gelados era impossível não estarmos a escorrer já.

Ele puxa-me para a beira da cama e entra todo dentro de mim, eu envolvo as minhas pernas à sua volta e puxo-o para mim enquanto nos beijamos.

Estava muito excitada das brincadeiras anteriores e foi fácil atingir o orgasmo!

Penso

Estamos empatados estávamos empatados agora!

Passámos a outra posição, uma das favoritas, de lado ele por trás, esta é umas das posições que mais me leva à loucura se houver sintonia entre a penetração e o meu movimento de anca.

Mas o calor pedia outra posição, com menos contacto de pele e para acabar com a cereja no topo do bolo, meto-me de 4 sobre a cama e ele fode-me por trás, bem fundo e intenso como eu aprecio enquanto brinca com o meu cuzinho. Venho-me! ahhhhh

Ele pergunta então se me pode comer o cuzinho e eu respondo claro que sim,

Pergunto ofegante para o picar ainda mais:

Vais me comer o cuzinho querido!

Ele pergunta quero lubrificante e eu aceno que sim, é o ideal para ser tudo suave e gostoso. Como estava super excitada já tinha o cuzinho desejoso de ser penetrado.

Sinto o fresco do lubrificante e de seguida o arrepio do inicio da penetração no cu… sustenho a respiração por momentos e quando ele começa a enfiar o seu pau rijo lá dentro começo a descontrair. Quando está todo lá dentro baixo a cabeça e mantenho o cuzinho bem empinado.

Ele fode-me o cu com gosto e embora até hoje nunca tenha tido um orgasmo anal, foi intenso e prazeroso para mim também.

Já percebendo que ele estava a rebentar digo-lhe

Vem-te no meu cuzinho, vem!

Ele descarrega o seu orgasmo em mim e eu sinto toda a eletricidade do seu orgasmo enquanto ele se deita sobre mim.

Ficamos na cama a recuperar a respiração e a dar mimo um ao outro.

2 a 2!

Continua…

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Citação

International fuck – Parte I

Ela: Are you in Lisbon Right now
D: Yes, and although i don’t know how do you look you are extremely turning me on
D: Do you like squirting?
Ela: I would love that .. But never happened to me , still hopeful
D: Never?? Maybe no guy knew the trick
Ela: Never!
D: Every girl i am having sex with, squirts
Ela: Are you the one who knows?
D: It’s a special technique. Of Course!
Ela: Ah ah ah
D: It’s not sooo difficult
Ela: Good atitude
D: Every woman can squirt
Ela: Not sure about that…
D: Since i have learned that technique from another woman
Ela: Hmmm
D: Only one woman didn’t squirt when we had sex
Ela: How long are you in Lisbon? I’m curious about that technique
D: I can show you
D: But i take 100€ per lesson!
Ela: 100€???
D: No, i am joking
Ela: I know LOL
D: I no whore. I do it because i enjoy seeing women do it
Ela: I really would love to squirt some day…
D: I can show you… but you have to show me something i don’t know in exchange
Ela: Do you know how to make deeptroat?
Ela: That was what i was going to say… deeptroat. Mind reader??
D: It’s such a pity… i never had a woman who could do that. Yes i can read your dirty fantasies!
Ela: My blowjob is amazing. I really love doing it, until I’m out of breath
D: This is the best a woman can do…
Ela: And my eyes full with water
D: But many don’t know how to do blowjobs
Ela: And messy….really messy!
D: Woooaaa. This is making me soo hot
Ela: Good i like that!
D: Can i come in your throat?
Ela: Or in my face. You choose. When do you leave?
D: You make the blowjob, you choose… you know how to make me cum
D: I leave Monday
Ela: Is late now… Are you in a hotel?
D: No at a friend’s place, not alone but we can go to a hotel
Ela: Tomorrow, lunch time!
D: I can be there at 13pm
Ela: That’s good, its exiting and i love the adrenaline
Ela: If you make me squirt… woooooow
D: You will see. Not only one time!

Continua

YES CAPTAIN! – PARTE II

Eu olhava para ele sedenta… Queria sentir aquele caralho minha boca… Queria isso mais que tudo e ele percebe isso… Sabe que aquela espera me está a torturar…

Queres metê-lo na boca é?

Faço que sim com a cabeça e digo

Muito!

Agarro-lhe o caralho e enfio-o todo dentro da minha boca.. Ainda estava a crescer… ADORO!
Agarro bem e dedico-me a chupar a cabecinha… enquanto vou batendo suavemente. Olho para ele e vejo que estou a ir bem.

Aproveito para passar para os tomates, lambo-os delicadamente e vou dando umas chupadelas mais intensas.

Volto a subir e, agora sim, ele já está rijo… uso a boca para sugar enquanto bato e o olho nos olhos…
Agora quero é senti-lo todo dentro da minha boca, a tocar no fundo da garganta! Ele percebe que isso me dá gozo e empurra-me a cabeça, forçando-se contra a minha boca. Faz isso uma e outra vez… Engasgo e sinto a minha saliva a acumular-se… Deixo-a sair e escorrer para cima daquela pila tesa.

Dedico-me com afinco até que ele me volta a tocar com as mãos na cona. Eu estava molhada e lubrificada, pronta para o sentir a entrar dentro de mim.

Ele levanta-se e tira um preservativo que rapidamente coloca, puxa-me para a beira da cama e segurando-me nas pernas penetra-me primeiro suavemente e depois intensamente, mantendo um ritmo muito excitante!

Fecho os olhos para apurar os sentidos… Adoro ser penetrada desta forma!

Ele sai de dentro de mim e pede-me para eu me meter de quatro.“Ui” penso eu,

É agora que vem a minha parte preferida.

Antes de me voltar a penetrar, fica de joelhos e volta a passar a sua língua pela minha cona e cu… Sinto aquele arrepio…

Viro-me para ele e beijo-o, beijo longo e molhado com os meus sabores.

Ficando de pé, volta então a entrar bem rijo dentro de mim enquanto me aperta o rabo com força.
Fodeu-me desse jeito durante um bom bocado… Deliciada olho para o espelho e cruzo o olhar com o dele, riu-me e pisco o olho… Adoro ver-me a ser comida por trás!! Este quarto com espelhos está a superar as expectativas.

Enquanto me come a cona, enfia 2 dedos no meu cu após mais um pouco de lube fresco. Fode-me o cu com os dedos deixando-me ansiosa por sentir o seu caralho rijo a entrar finalmente no buraco, ainda por explorar. Começo a aumentar o ritmo empurrando o meu rabo contra ele.

Penso que estou pronta… Quero que ele me foda o cu! Já!
Sinto-o a sair da cona e a abrir caminho no cu. Apertado e intenso… desliza confortavelmente!

Lentamente começa a entrar e sair e um arrepio percorre todo o meu corpo. Era um prazer já esquecido há muito e que estava a revelar-me uma delícia!

Com o rabo empinado e a cabeça baixa, sinto cada estocada… mordo o lábio… aperto o lençol… ahhh que prazer!

Os espelhos começam a embaciar… está um calor brutal naquele quarto… escorremos suor por todo o corpo…
Alternado com o meu cu, volta a penetrar com força a minha cona… gemo mais alto! Ahhh adoro minha imagem, mas já pouco se via naqueles espelhos!

Voltamos a mudar de posição… agora para aquela que permite sentir intensamente a penetração ao mesmo tempo que nos olhamos nos olhos … barriga para cima, pernas nos ombros dele…

Olhamo-nos satisfeitos, a pingar de suor mas satisfeitos! Sorrisos largos.
Descansando um pouco, volta a foder-me com as suas belas mãos e facilmente faz-me vir pela 2°vez.

Ahhh… estico-me na cama e ele cai meu lado. Olhamo-nos e rimos… ele tira o preservativo e volta até à cama.
Procuro desesperadamente pelo comando do ar condicionado. É impressionante o calor de dois corpos humanos dentro daquele quarto, mas era também sinal de prazer.

Refrescamos um pouco e volto a olhar para o caralho dele… ainda não estava saciada! Ele também não…
Chupo-o ainda com mais vontade e intensidade. Enfio-o todo, ainda mais fundo… engasgo-me várias vezes, paro, respiro e volto ainda com mais vontade! Ele ajuda-me neste ritual! Fico louca de prazer!

Por fim, descanso e pergunto-lhe se já sabe onde se vai vir.

Já sei desde o início!

Percebo a dica e digo:

Queres-te vir na minha cara não é?

“Claro!” Responde ele para minha satisfação.
E nisto sobe para cima de mim, ficando com os tomates por cima da minha boca, enquanto bate uma em direção à minha cara e me diz

Lambe-me as bolas!

Cumpro com dedicação já ansiando o momento em que aquele leite quente vai jorrar para a minha cara.
Sim! Ele vem-se! A minha boca, lábios, bochechas e testa ficam cobertas por um leite espesso e quente!!

Riu-me satisfeita enquanto olho para ele e dou umas chupadelas delicadas finais, para lamber tudo!
Ele diz:

Puta gostas disto, olha para ti…

Foi ótimo

Respondo!
Ele cai, finalmente, ao meu lado e contorce-se. Diz que tem descargas eléctricas após o orgasmo.
Observo entretida pelo espelho por cima de nós, os nossos corpos estendidos, suados e agora relaxados!

Boa miúda

Diz ele também divertido com a química que tínhamos. Eu dou uma risada, estou satisfeita e suspiro!
Ficamos a conversar sobre um pouco de tudo e de nada e sobre fodões futuros, ele diz que tem um amigo para me apresentar!
Sim, este foi um bom almoço e acho que passei no exame do sr. Capitão!

Surpreendida – Parte II

Ele sai rapidamente e fecha a porta. Eu fico imóvel, quero que o meu corpo volte ao normal e que o intenso calor passe antes de ser vista. Estaria alguém à espera de vez?

Tinha a cona a latejar e a cabeça no carrossel!

Levanto-me e ajeito o vestido, penteio o cabelo com as mãos e saio para ir ao lavatório lavar a boca.

Quando me preparava para regressar, já não tinha noção do tempo à que estava ausente, ele volta a aparecer.

Tinha os olhos brilhantes e estava completamente enlouquecido! Ri-me e disse-lhe

Nem penses

Não havia palavras que o demovessem e eu também não tinha sido convicente, mas estávamos a esticar os limites… hesitei…

Deixei-me levar! Voltámos à casa de banho de há pouco… e quase imediatamente já tinha a sua pila rija e pulsante a bater na minha cara, língua e garganta.

Desta vez a intensidade levou-o a agarrar-me contra ele e segurar-me bem enquanto me fodia a boca.

Eu sentia-me a sufocar e as lágrimas começaram a nascer nos meus olhos.

Ele deixou-me descansar por berves momentos… e voltou a segurar-me da mesma forma e eu olhei fixamente para ele! Ele viu o quanto eu estava a gostar e só dizia:

Puta!

Quando parou novamente, disse-lhe

Temos de parar! Já devem ter dado pela nossa falta!!

Ao que ele responde contrariado antes de se ir embora.

Puta quero-te tanto foder!

Volto a compor a roupa e saio da casa de banho tentando disfarçar o sorriso que tinha estampado na minha cara.

Vejo-me ao espelho e um pouco do rímel tinha borrado, limpo e aplico algum pó na cara, sacudo o cabelo e volto à sala com a minha postura habitual.

Sento-me na mesa, ele estava lá fora, e continuo uma conversa banal com uma outra colega. Fingido-me interessada no tema, só pensava:

Miúda, acho que ninguém deu por nada… será que desconfiam? Será que sonham? Bem, isso agora não interessa! Queres acabar de mamar aquele caralho e não passa de hoje.

O pós jantar estava a terminar e a grande maioria dos colegas foi indo para casa.

Entre os poucos que foram ficando planeavam-se agora as boleias.

Fiz-me de desinteressa das várias sugestões, até que ele me disse, queres vir comigo? Tenho o carro mesmo aqui à porta.

Sem mostrar grande entusiasmo disse

Ahh ok! Boa assim não tenho de andar muito. Estes sapatos estão a dar-me cabo dos pés

Saímos do restaurante e já estávamos no carro dele.

Olho para as horas, já era tarde e não me podia atrasar muito mais a chegar a casa. Digo-lhe sincera

Que pena… já é tão tarde…

Ele diz-me, enquanto arranca com o carro, vamos só a um sítio.

Ok, mas eu não me posso demorar muito, respondi.

Chegamos a um largo grande de estacionamento entre prédios e eu olho em volta desconfiada, ele diz-me que é tranquilo. Já era de madrugada mas podia estar alguém à espreita. Dados os acontecimentos daquela noite…who cares pensei.

Ele abre as calças e ela já está bem rija. Eu tiro o vestido e fico só de soutien e meias de liga, não tiro os sapatos porque adoro ver-me assim.

Ele chega o banco do condutor para trás e eu meto-me de gatas com os joelhos no banco do passageiro debruçada sobre ele.

Cheia de vontade volto a chupar-lo com intensidade, por momentos voltei à loucura da casa de banho.

O álcool estava a fazer o seu efeito nele e apesar da minha dedicação ele estava longe de se vi. Já era tarde e o meu tempo estava a esgotar-se! Pergunto sem vergonhas:

Vais-te vir querido?

Ele queria tanto vir-se que decidimos arriscar mais. Ele abre que porta do lado dele e sai, fica de pé com as calças abertas e o seu caralho rijo a chamar por mim do lado de fora do carro. Ficamos totalmente expostos a potencias mirones.

Avanço de gatas para ele e assim ele afunda-o na minha garganta uma e outra vez enquanto agarra bem os meus cabelos.

Fode-me a boca até terminar vindo-se bem dentro dela.

Ahhh que prazer eu tenho! Que loucura boa expostos assim na rua até gostava de estivessem a ver pensa a putinha dentro de mim.

Voltamos para dentro do carro e trocamos um beijo carinhoso… apercebo-me que nunca nos tínhamos beijado antes… volto a beijá-lo intensamente enquanto lhe acaricio o peito!

Sem falarmos compomos a roupa e arrancamos.

No caminho para casa só pensava que estava morta de curiosidade para saber as fofocas do jantar próprias do dia seguinte e só rezava não ter marcas no corpo!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Surpreendida – Parte I

Recebi uma mensagem que dizia:

Vou guardar lugar para ti ao meu lado no jantar, não leves cuecas.

Percebi que ele já sabia que também ia ao jantar da empresa. Fiquei entusiasmada e ao mesmo tempo um pouco receosa.
Gosto de cultivar uma imagem de inatingível e sei que me consideram arrogante o que mostra que tenho sucesso. Contudo tenho de ter cuidado.

Cheguei um pouco mais tarde pois tive alguns emails para responder, mas vi o lugar vazio que me esperava e o brilho nos olhos dele.
Aposto que estava morto para saber se tinha cumprido o seu desejo.

Cumprimento os colegas e faço-me de surpreendida, vou aproveitar o lugar vazio então, digo eu.
(Adoro este papel)

O jantar está a decorrer animadamente, e eu mantenho-me de lado a falar com outros colegas, evitando de propósito mostrar intimidade com ele.

Após alguns brindes começo a sentir-me mais leve e ele surpreende-me ao colocar a mão dele na minha coxa, apertando-a levemente.
Acho que ele já estava mais tocado do que eu.

Olho em volta um pouco tensa… será que alguém viu?
A adrenalina da situação começava a bombar dentro do meu corpo, ninguém sabia do nosso entendimento fora da relação profissional e confesso que tinha um gozo extra em manter uma postura distante ao mesmo tempo que me sentia molhada entre as pernas.

O dia tinha sido um intenso tease de sexting e estava ansiosa por continuar a provocação e saber onde ela nos ia levar.

Ele começa num flirt com outra colega e eu faço-me despercebida… aproveito para encher o meu copo de vinho.
Com o jantar a chegar ao fim começa aquela movimentação de cadeiras e mudanças de lugar, alguns colegas vão à rua fumar. O ambiente era descontraído e a noite ainda agora começava, uma vez que o restaurante ia estar por nossa conta.

Levanto-me para ir à casa de banho, estava com calor, queria refrescar-me e retocar o bâton.
Quando estou a sair para retornar à sala ele aparece de repente e empurra-me novamente para a casa de banho e fecha a porta atrás dele.
Digo-lhe nervosa:

Estás louco? E se alguém nos vê?

Ele faz-me “shiuu” e começa a abrir as calças, eu sento-me sobre o tampo da sanita claramente surpreendida com a audácia. Não tinha ainda a certeza da loucura… mas que me deixou muito excitada tinha de admitir.

Anda puta, queres senti-lo na tua boca não queres? Anda chupa-me!

Dizia ele enquanto se encostava a mim e me esfregava o caralho na cara. Estava cheia de vontade mas queria que ele puxasse por mim…
Ele então agarra-me e empurra-se contra a minha boca, forçando-se a entrar!

Deixo as minhas mãos em baixo penso não lhe quero fazer uma mamada… quero que ele me foda a boca!
Ele entao segura a minha cabeça com firmeza e enfia-me o caralho rijo bem fundo, sinto-o a bater na minha garganta!
Olho para ele e sem falar instigo ainda mais a loucura, ele penetra-me intensamente mais 3 vezes e larga-me.

Afasta-se e começa a fechar as calças, eu estou meia decomposta, sentada, ainda ofegante a olhar para ele enquanto mordo o lábio… estava sedenta de mais!

Continua