Jogo de Damas – Parte II

Tenho noção que apenas se passaram breves momentos, mas pareceram-me uma eternidade.
Olhei mais uma vez para a plateia e a audiência senior estava fixada no filme, não iriam dar pelas minhas movimentações. Levantei-me deixando o casaco e a mala no banco.

Miúdaaaaaaaaaaaa

Gritava a minha voz interior.

Caminho lentamente até à cortina e espreito envergonhada, estava de facto bastante escuro e pouco via mais que um vulto de um homem, logo ele não veria o quão rosada eu estava, sentia-me a escaldar.

A cortina era de veludo grosso em tons de bordeaux e fazia um esconderijo perfeito naquele recanto da sala. A pouca luz que entrava por baixo da cortina era reconfortante mas insuficiente para um reconhecimento mas também já tinha passado essa fase.

Eu caminho até ele e rapidamente estamos a partilhar beijos intensos e molhados. Com a minha mão percorro a sua cara, pois ao estar privada de um sentido tinha que matar a curiosidade com outro, o tato.
Ele tinha uma barba macia e um cheiro agradável, não era muito alto pois ficava do meu tamanho com saltos e pareceu-me também um pouco nervoso, era uma loucura a dois.

Sussurra-me ao ouvido

Estou muito excitado, já estava a bater uma enquanto te via por isso não vou aguentar muito tempo.

Mordo o meu lábio de excitação e ajoelho-me para metê-lo bem rijo na minha boca. A cortina protegia-nos de sermos expostos mas não abafava os sons. Tentei ser silenciosa.
Chupo-o todo com gosto e muita tesão. Sentia-a entre as pernas pois como estava sem cuecas estava mesmo muito molhada.

Ele agarra-me a cabeça no clímax e vem-se intensamente na minha boca. Delicio-me com o momento e termino a chupá-lo suavemente.
Quando me levanto beijo-o e ele diz-me baixinho,

Vira-te putinha!

Encosta-me de frente com a parede enquanto enfia os dedos na minha cona molhada.
Penetra-me intensamentee rapidamente com os dedos e tenho que cerrar os lábios para não soltar qualquer gemido. O filme era bastante calmo e com algumas pausas nos diálogos, o que parecia amplificar todos os nossos sons, principalmente o som dos dedos a entrar na minha cona tão molhada, que de certeza estaria a ser ouvido.

Sei que ele me queria retribuir o prazer e o orgasmo mas eu estava a ficar obcecada com o fato de as velhas da plateia estarem a ouvir o que se estava a passar e isso de alguma forma constrangia-me. Aquele som dos dedos na cona parecia estar a ser ouvido até na sala ao lado!

Eu digo controlando a respiração e o tom de voz

É melhor pararmos, este barulho deve ouvir-se lá fora!

Eu viro-me e fico encostada de costas com a parede tentado ver mais uma vez como ele era, sem sucesso!
Ele fecha as calças e ajeita a roupa enquanto eu fecho a camisa e puxo a saia para baixo, tinha que me recompor.
Beija-me mais uma vez e diz-me

Espera um pouco depois de eu sair e depois sais, ok?

Assim fiz e após uns momentos ganhei coragem para sair de trás da cortina e voltar ao meu lugar, onde me sentei e fiquei a absorver a intensidade do momento.
O nervoso miudinho a acalmar aos poucos. Pela primeira vez tomei atenção ao filme e fiquei uns 15 minutos a assistir calmamente até me levantar discretamente e sair.

Enquanto me dirigia até à porta só esperava não me encontrar com a senhora dos bilhetes da entrada pois sair a meio de uma sessão é minimamente suspeito. Meio a medo avancei e assim que vi a costa livre quase que corri!
De sorriso estampado no rosto cheguei à rua e senti o sol na minha face.
Com sessões destas apanhavam-me mais vezes no cinema!

Jogo de Damas – Parte I

F: Estava a ler o teu blog
F: Aquele episódio num provador
F: Com um estranho
F: Foi contigo?
Ela: claro
F: Adoro
F: Quase perfeita a fantasia
F: Só retirava a chuchada de escolher roupa
F: Adoro stranger fantasies
F: Mas sem dizer nada
F: Cinema
F: Chegas primeiro
F: De saia
F: Entro quando já tiver começado o filme
F: Sento-me ao teu lado
F: E começo-te a comer sem dizermos nada
Ela: já fizeste isso?
Ela: Esta foi a minha primeira vez assim num provador
F: Não
F: Já fiz do género
F: Esta não
Ela: É gira
F: Já fodi no cinema
Ela: No Cinebolso? lol
F: Mas com uma namorada
F: Não
Ela: Então e andas à caça de carne fresca?
F: Fiz num cinena no centro da cidade!
F: Hahaha
F: Ando. Tu?
Ela: claro
Ela: Gosto da adrenalina das coisas novas
Ela: E de testar limites
F: Que fazes hoje à tarde?
Ela: trabalho
Ela: Mas…
Ela: O que tinhas em mente?
F: Cinema.
F: Fiquei com tesão só de te descrever
Ela: Que tentação
F: Estas de saia?
Ela: O tal cinema é mesmo pertinho de mim
Ela: Estou sim…Saia e meias de liga
F: A que horas é o teu almoço?
Ela: As always
Ela: Pode ser agora
Ela: Estás perto?
F: Estou
Ela: És um caçador implacável
Ela: Sinto-me uma presa indefesa
F: Jogo de Damas. Cinema. 1.30.
F: Compra bilhete e senta-te atrás
F: Longe de toda a gente
F: Combinado?
Ela: Estou tentada
F: 😈
F: Bora
F: É uma aventura
Ela: Sem dúvida
F: Fechado?
Ela: Vou alinhar
Ela: 😈
Ela: vou agora até lá
F: Até já
F: 🙂
Ela: Já viste se esta sessão é mesmo a essa hora?
F: Já
F: 13.30
Ela: Ok
F: A caminho
Ela: Me too
Ela: Nervoso?
F: O suficiente para ter graça
Ela: Bom, já tenho bilhete
Ela: Vou entrar na sala
Ela: 😈
F: Good girl
F: Ótimo
F: Diz-me se tem muita gente
Ela: Sou a única até ao momento
Ela: Penso que está uma senhora lá fora, com ar de reformada
Ela: E deve vir a esta sessão
F: Desde que se sente mais à frente, estamos na boa
Ela: Era azar sentar-se ao nosso lado
Ela: Ah ah
Ela: E tu estás dentro do horário?
F: Sim, entro depois de começar o filme
Ela: No escuro?
Ela: Tira uma foto agora, quero ver-te
F: Olha que tem muito mais graça assim
Ela: Hmmm
F: Sem termos a certeza como o outro é
Ela: Please
Ela: Eu sou a da foto
Ela: Mas hoje de báton vermelho
F: Eu também sou o da foto
F: De cachecol vermelho
Ela: Com ou sem barba?
F: Com
Ela: Sou tímida…
Ela: Não vais acreditar… velha sentou-se ao meu lado
Ela: Ah ah
F: Atrás?
Ela: Levantou-se para atender o móvel
Ela: Ah ah
Ela: Tenho uma fila atrás ainda
Ela: Mas quer dizer que ela vai voltar e sentar-se perto
Ela: Ohhh noooo
F: Deixa entrar toda a gente é já vemos
Ela: Outra velha na fila de trás
Ela: Estou a entrar em pânico!
F: Controlaram o bilhete na entrada da sala?
Ela: Nop
Ela: Sentas-te onde queres
Ela: Estamos 3
Ela: Eu e as velhas
Ela: Quando chegares avanças para o centro da sala
Ela: E eu sigo-te
F: Ok
F: Senta-te lá à frente
F: Num canto
F: O mais discreto que arranjares
Ela: Deixa apagar a luz
Ela: E mudo de lugar
Ela: Sim?
F: Sim
Ela: Estou do lado esquerdo
Ela: Mais à frente
Ela: Na ponta da fila central
Ela: E uns velhos a chegar para a fila de trás…
Ela: Estou a morrer
Ela: Ah ah ah
F: Ok
F: 5 minutos
F: Quando a sala escurecer, vais levantar-te
F: E sentar-te na fila de trás à esquerda
F: Na ponta contrária da entrada
Ela: Ao fundo da sala?
F: Sim
F: Cá atrás
Ela: Já entraste?
F: Não
F: Deixa o lugar da ponta para mim
F: À tua esquerda
Ela: Ok
Ela: Vou para outro lugar agora
F: Tira o casaco
Ela: Estás a ver-me?
F: Muito bem
Ela: Que jogo
F: És uma putinha bem comportada
F: Gosto disso
Ela: Sim sou
F: Começa a tocar-te
Ela: Não sei se consigo
F: Discretamente
Ela: Estou nervosa
F: Ninguém te vê
F: Só eu
Ela: Onde estás?
F: Cá à frente
F: Não me consegues ver
F: Mas eu vejo
Ela: Isso deixa-me nervosa
F: Não estejas
F: É só um jogo
F: 🙂
Ela: Não vens ter comigo?
F: Vou claro
F: Daqui a nada
F: Tira as cuecas.
Ela: Não consigo…A saia é justa
F: Levanta-a
F: E deixa-a levantada
F: Muito bem
F: Agora toca-te
Ela: Vês as mamas
F: Não
F: Estás a tocar-te?
Ela: Tenho as mãos frias
F: Eu estou
F: A tocar-me a ver-te
Ela: Estou a passar as mãos pelo peito
Ela: Os mamilos estão rijos
F: Isso
F: Também estou rijo já
F: Com ela de fora
F: Estás pronta para a engolir toda?
Ela: Não sei…
F: Não?
Ela: Estou exposta
F: Eu estou
F: Baixa a saia
F: Vais-te levantar discretamente
Ela: E…
F: Andar 3 metros para a tua direita e entrar para trás dessa cortina
Ela: Não consigo!!
Ela: Estou a bloquear
F: Consegues sim
F: 🙂
F: Anda
Ela: Estas ai?
F: Estou
F: Com ela de fora à tua espera
Ela: Não sei…
F: Anda
F: Quero essa boca
Ela: Estou nervosa
F: Eu também…
Ela: Está escuro aí?
F: Está muito escuro
Ela: Não te vou ver?
F: Vês
Ela: Isso está a stressar-me… Tudo sem ver
F: Olha para trás
Ela: Estou tão molhada

51ae9be4-d070-4210-85bb-68bb011b5ad6

Neste momento olho para trás, por cima do meu ombro e vejo uma mão a chamar-se por trás das cortinas. Se o meu coração já estava acelerado neste momento dispara.
Confesso que até aquele momento me passavam pela cabeça vários cenários e um deles é que ele não estava de todo naquela sala e estava simplesmente a brincar comigo. Quando pensava nessa hipótese acalmava e agora já não tinha esse escape.
Senti-me paralisada e sem saber o que fazer, devia levantar-me e ir ter com um estranho atrás das cortinas? Não é que fosse uma loucura assim tão diferente de outras do passado, mas o jogo estava a causar-me uma adrenalina que não me fazia pensar direito.
Racionalizei

Miuda! Estás por trás de umas cortinas de veludo, numa sala com uma dezena de pessoas, em plena hora de almoço, o que pode correr mal?

Deixei-me ficar quieta…

Continua

Citação

A proposta de C

C:Alinhavas numa aventura?

Ela:A minha vida já é uma aventura! O que tinhas em mente?

C: Encontrarmo-nos num hotel ou num lugar mais sossegado e passarmos um bom momento a dois. Máximo sigilo.
C: Não te dava prazer fazer sexo com um desconhecido logo no primeiro encontro?

Ela: Hmmm essa proposta é muito excitante!
Ela: Estive a ver as tuas fotos…aqueles abdominais deixaram-me … como que dizer…com vontades!

C: O teu corpo também me deixou louco! Então sempre queres ter uma aventura?Posso ir ter onde quiseres.
C: Espero que queiras… Quero muito dar-te prazer…

Ela: Quero… embora seja uma nova experiência… parece ser muito excitante…
Ela: Já o fizeste anteriormente?

C: Sim linda, só uma vez, mas foi uma coisa muito rápida, no carro.
C: Gostava muito de estar contigo e levar-te à loucura.
C: Acredita que não te irás arrepender…Vou-te levar ao céu!

Ela: Não sei se consigo ter coragem para a nossa aventura…
Ela: Se por um lado me tira do sério… por outro tenho receio de sair da minha confort zone… mas confesso que estou a amadurecer a ideia!

C: Linda, aceito que tenhas algum receio, mas acredita que é uma sensação exelente. Prometo tratar-te bem e o que se passar entre nós, fica só entre nós.
C: Beijos nesse teu corpo lindo que adorava acariciar.
C: Quanto mais vejo as tuas fotos, mais o desejo de estar contigo aumenta.

Ela: Hoje ao deitar-me pensei em ti! Pensei que talvez fosse possível.
Ela: A minha duvida é se me sinto segura… visto não te conhecer pois não tenho duvidas que é excitante!
Ela: O que tinhas em mente? Vires ter comigo? Podiamos-nos conhecer num café… sem compromisso… e se eu quisesse íamos a um hotel…?

C: Temos é que ver um lugar,que tenha depois um local perto para estarmos juntos e longe de onde possamos ser conhecidos.
C:E ja agora eu tenho 27 anos e tu? Beijos linda, vais ver que vais adorar o nosso encontro!

Ela: Eu tenho…x…27… Que bela idade!
Ela: Acho esta situação super excitante… E uma novidade que me apetece tanto experimentar…

C: Conheces alguma residencial barata para esses lados onde possamos estar?
C: Linda, nao me leves a mal… o que vou perguntar, mas nao tens nenhum tipo de problema de saúde pois nao? Eu pergunto isto porque quero te fazer um bom oral.
C: Que me dizes de encontrarmo-nos para a semana?

Ela: Não tenho doenças, podes estar descansado. Adoro receber e fazer um bom oral. Esta tua atitude tão direta é desconcertante!
Ela: Esta semana só se for quinta-feira. E ainda tenho de ganhar coragem

C: Linda como ainda estas a ganhar coragem, não te queres encontrar 5f onde conheço um lugar discreto e nos conhecermos primeiro?”

Ela: Estive a pensar melhor e acho que prefiro o plano original! Ver-te e caso me apeteça iamos até à pensão!
Ela: Isso é muuuito mais excitante não achas?

C: Por mim na boa, linda.
C: Podias-me mandar uma foto da tua cona, para a estudar para te fazer um grande oral?

Ela: Fazes-me rir com essa do estudo! ahahah podes acreditar que recebo imensos elogios… acho que ela é linda e saborosa!

C: Esta quinta já não vou conseguir… talvez só na próxima.

Ela: Que dizes? Prometeste que me levavas ao céu! Vou cobrar!

C: Prepara-te pra 1 semana do próximo mês…vou-te levar ao céu.

@Parque – Parte I

Finalmente estivemos juntos!

Eu escolhi um sítio acolhedor mas fun para almoçar, convenientemente, perto do trabalho. O tempo é escasso e não o queria perder em trajetos pela cidade.

Achei que o sítio te ia agradar e seria o ideal para um primeiro encontro. Íamo-nos conhecer em carne e osso, olhos nos olhos, pela primeira vez!

Durante o almoço, senti que enquanto eu tentava falava contigo num tom descontraído, tu olhavas nos meus olhos, e eu sentia de imediato a minha cara a ficar quente e provavelmente corada.

A timidez não me largava. Tinha gostado do que estava a ver e de o nosso click ter sido fácil.
Desejava que me agarrasses firmemente, me puxasses contra ti e finalmente me beijasses… mas tentava fugir a esse teu olhar intenso e manter a minha distância…

Neste momento o meu diretor entra nesse mesmo restaurante!

Miúda! Endireita as costas, põe um ar profissional e tenta continuar o teu almoço com naturalidade. Ele não sonha que tu te estás a encontrar com um tipo que não conheces e com quem estás mortinha por ter sexo, pois não?

Terminámos a refeição calmamente, bebemos o nosso vinho devagar e até apetite para sobremesa tive. Tu mostraste-me discretamente o ecrã o teu telemóvel onde estava escrito

Quero-te beijar (derreti…) vamos embora?

Dirigimo-nos para o teu carro, que estava estacionado num parque subterrâneo perto, e enquanto o fazíamos íamos lado a lado a sentir uma tensão que tínhamos de conter até estarmos só os dois.

Aproximávamo-nos do elevador para o parque e ficamos sós por instantes… quase nos beijávamos… mas entrou uma pessoa.

Damn! Isto hoje não está a correr bem…!

Finalmente chegamos ao teu carro que estava estacionado num canto. Relaxei, assim íamos poder ficar à vontade… O meu crasy mode já estava on
Ficámos de pé junto ao carro e encostaste-me ao pilar e finalmente senti os teus lábios. A timidez estava a partir para bem longe. O gelo estava quebrado.

Perguntaste-me se queria entrar para o banco de trás contigo… Disse que sim e entrei à tua frente. Beijámo-nos uma, outra e outra vez. Sempre adorei beijar e os beijos eram muito bons, molhados e suaves.

Sentia-te excitado e deixámo-nos guiar pelo instinto.

Naquela escuridão e calor, fomo-nos explorando: línguas, sabores e cheiros. Beijaste-me no pescoço e desceste as tuas mãos para o interior das minhas coxas, apertaste-me as pernas e sentia a tesão a acumular-se.

Perguntei-te se querias beijar as minhas maminhas…sem hesitar subiste a minha blusa, desceste o meu soutien e eu senti a tua boca e o teu respirar nos meus bicos já duros de tesão…beijaste, lambeste, chupaste, brincaste com a ponta da língua e com umas trincadelas ao de leve. Adorei.

Com o calor, aumentava também intensidade dos beijos, eu levantava o pescoço demostrando que gostava de ser beijada aí…gostava de sentir o arrepio e as tuas mãos, tu correspondeste.

Enquanto me beijavas uma mama apertavas a outra…e a vontade de me entregar para me sentires aumentava… estava tão molhada e em breve ias sentir o efeito que tinhas em mim. Não havia como disfarçar.

Começas-te por me tocar as coxas, as pernas…acariciavas-me toda enquanto me beijavas-me mais e mais, já só pensava quando ia sentir os teus dedos na minha cona… estavas tão perto! Baixaste as minhas cuequinhas e avançaste com os teus dedos até chegares a ela… eu suspirei de prazer antecipado!

Estava desejosa… e molhada, não conseguia esconder a excitação que me causavas e saber que tu ias sentir isso ainda me provocava mais desejo.

Miúda, é agora…hmmm

Os teus dedos deslizavam suavemente por entre os meus lábios, passaram pelo meu clitóris, até começar os começar a sentir na entrada da minha cona.

Com um beijo longo penetraste-me com um dedo que depois tiraste e partilhaste comigo. Sabias que eu gostava do meu sabor…

Voltaste a penetrar-me mais intensamente e depois provaste finalmente o meu sabor…vi a tua satisfação na forma como brilhavam os teus olhos… no escuro daquele banco de trás.

Passavam carros de vez em quando, uns para cima, outros para baixo. Estávamos a meio de um dia normal de trabalho no centro de uma cidade movimentada a viver mais uma aventura. A dose de excitação era redobrada pela situação.

Continua

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com