O QUE ME DÁ TESÃO…#42

Sexta-feira no escritório.
A tarde será livre de reuniões, coisa rara, olho para a cidade que continua a correr em ritmo frenético, o céu azul e o sol brilhante.

Fecho os olhos por breves momentos, passo a língua para humedecer os lábios e inconscientemente dou por mim a morder levemente o lábio e a salivar…

All i want right now is…

Menina mimada – Parte I

Ele: Esta noite não és tu que vem cá a casa
Ele: É uma puta a sério
Ele: Como se chama ela?
Eu: Hmmm não sei… como me queres chamar?
Eu: Talvez… Jéssica? Ou Bianca?
Ele: Escolhe tu
Ele: Mas hoje não quero uma puta fina
Eu: Não? Então… queres me vulgar?
Ele: E pronta para tudo

E assim o nervoso miudinho começou a instalar-se no meu corpo trazendo pela mão as borboletas na barriga e a obsessão pela chegada do momento.
Não saber o que me espera exactamente mas confiar que com a pessoa certa apenas me posso deixar levar é um privilégio.

Este momento foi sendo construído ao logo de uma semana. A roupa foi escolhida e aprovada com antecedência e a maquilhagem preparada. Partilhamos o gosto pelos preparativos, pelos detalhes e pela construção de um verdadeiro cenário erótico estimulante – o verdadeiro fuck my brain antes de me foderes o resto do corpo.

Chego a casa dele, o nosso antro de devassidão, e o abraço envolvente e caloroso na chegada seguido de um beijo molhado acalmou a minha ansiedade libertando-me para o que importa, uma bela noite de prazer e desafios.
Dirigi-me à casa de banho para terminar alguns detalhes e oiço a campainha da porta a tocar. Sim, suspeitava desde o início que este desafio sensual não seria um one on one, teríamos companhia e após algumas pistas deixadas durante a semana tinha os meus palpites que imediatamente fizeram disparar o meu coração.
Ele olha para mim com o seu sorriso maroto de quem está a adorar e diz-me:

Acho que estamos com um problema de timings, ficas aqui que já te venho chamar.

Damn miúda! It’s real!

Olho para o espelho e continuo a retocar a minha makeup. Queria ter os olhos bem carregados com um esfumado escuro e os lábios bem carnudos e vermelhos, estava-me a aventurar neste género mas sou habilidosa.
Apuro o meu ouvido e oiço alguns murmúrios indefinidos e uns passos com saltos… a minha suspeita estava certa, uma mulher!
Continuo a tratar de mim e a olhar com gosto a minha silhueta esculpida.
Tinha escolhido usar um bodysuit de renda com uma conveniente abertura entre as pernas, um espartilho lindo e uma saia lápis travada e sapatos bem altos, tudo em preto.
Quando ele vem ter comigo novamente digo-lhe dengosa, que preciso da ajuda dele para apertar o espartilho para moldar ainda mais a minha cintura e acentuar as minhas curvas.

Encosta-te na bancada e fica direita, é mais fácil

Diz ele. Olho no espelho e acho-me deliciosa. Lembro-me da surpresa que me aguarda enquanto ele me diz

Deixa-me orgulhoso putinha linda

Abre a porta da casa de banho, o meu esconderijo até à hora certa, e tento espreitar pois estava já consumida de curiosidade.
Nesse momento sinto-me a ficar vermelha da cabeça aos pés pois eu sou de facto tímida, pelo menos até quebrar o gelo.
Olhando por cima do ombro dele vejo-a na sala, em pé, vestida de preto, com uma silhueta cintada por um belo espartilho, sobre uma blusa comprida solta sobre o peito empinado e curta, cobrindo o rabo. A minha atenção focou-se imediatamente nas botas pretas, com um salto elegante e que subiam até meio da coxa.

Embora mais baixa do de eu, a presença era forte e recebeu-me com um sorriso.
Ele apresentou-a e eu segui a deixa e disse meio hesitante

Sou a Bianca!

Decidi no momento o meu nome para aquela noite, soltei um risinho nervoso e revelei que tinha estado indecisa até ao momento sobre o nome ideal e quais as opções que estavam sobre a mesa… Jéssica ou Bianca.
Ela elogiou a minha escolha.

Sim, Bianca és mais tu.

Neste momento estavamos os 3 de pé no centro da sala e eu sentia-me confiante, linda e muito quente, a aguardar as indicações deles entrando no meu papel de putinha obediente.
O meu nervosismo era evidente, mas também era esse o objectivo final, retirar-me do meu conforto e proporcionar-me uma nova experiência com uma mulher segura, madura e atraente.
Senti o corpo dele atrás de mim e com os meus braços para trás agarrei-o nas coxas, fechei os olhos e descontraí.
Fechar os olhos e deixar-me levar torna-se mais fácil pois consigo focar-me nos restantes sentidos ultrapassar a timidez e relaxar.
Sinto-a à minha frente quando ele afasta o decote do meu body, deixando as minhas mamas rijas expostas para ela explorar. Sinto o aroma a pele das luvas dela e comento que gosto muito de sentir cabedal na minha pele e ela dá-me a cheirar as luvas.

São novas, a estrear contigo, és uma sortuda!

Diz-me ele.
Fico extremamente satisfeita e abro os olhos para a ver. Eles olhavam um para o outro satisfeitos e massajavam as minhas mamas em simultâneo.
Eu suspirava e apertava as coxas dele com mais força.

Ela é tímida é?

Perguntou ela
Eu respondo que sou bastante, apesar de tudo o que já fiz e vivi, a timidez é algo que nunca me largou e acho um excelente sinal. Faz-me sentir viva e assim tudo vale a pena.
Ele sabendo-me tensa puxa por mim

Diz-lhe lá o que tu gostas mesmo de fazer!

Eu mordo o meu lábio e após ganhar coragem digo…

Chupar! Adoro chupar.
Linda menina!

Agora mete-te de joelhos e gatinha até à porta, quero que ela tenha esta visão.

Obedientemente coloco-me de gatas e gatinho lentamente até à porta, bamboleando o meu rabo grande, sinto-os com os olhos cravados em mim e fico orgulhosa.
Volto e ele ajuda-me a levantar.

Essa saia não sai?

Pergunta ela.

Sai sim, temos de a puxar por baixo.

Falavam um com um outro descontraidamente, eu estava ali para eles e agora já totalmente exposta, sinto a boca dela perto da minha e tocamos os nossos lábios suavemente enquanto ela me massaja as mamas.
Ele diz que tem uma surpresa para ela e leva-me até ao WC onde eu visto pela primeira vez o meu hoodie de renda apenas com abertura na boca.
De facto estar “escondida” sob o tecido libertou-me completamente e quando voltamos vejo-a sentada no cadeirão da sala, com as pernas abertas.

Ele diz para eu me meter de joelhos em frente dela. O vestido tinha subido e através das collants abertas entre as pernas vi a cona dela, delicada e totalmente rapada. Confesso que estava com um ar extremamente apetitoso.
Ela puxa o meu queixo para cima e diz-me numa voz suave e melosa

Ahh ela é maravilhosa, até ronrona… é uma gatinha. Anda Kitty!

Coloca uma coleira de cabedal no meu pescoço pedindo-lhe ajuda para ele fechar a fivela na parte de trás.
Eu rebolo o meu corpo de satisfação. Ela volta a puxar-me para ela e beija-me os lábios com a língua molhada e pede a minha língua.

Não sejas tímida com a língua.

Os beijos eram suaves e muito molhados e fui ficando mais audaciosa na forma como envolvíamos as nossas línguas.
Sentia que ele nos observava com toda a atenção do mundo e que provavelmente estaria desejoso de me ver lamber a sua amiga. Eu já estava pronta.
De beijar a boca a lamber a cona dela bastou um incentivo dele e um jeito dela para que mais facilmente conseguisse chegar aos seus lábios da cona.

Ela estava molhada e era saborosa. Como putinha dedicada que sou, entreguei-me à tarefa tentando replicar nela aquilo que gosto que me façam a mim, muita língua e chupões.
Ele exclama

Acho que tens jeito! Ela está com cara de que está a gostar muito.

Isso motivou-me para me dedicar ainda mais a lambê-la com vontade. Ele pergunta-lhe se ela gosta e percebo que ela demonstra agrado pela expressão facial quando espreito para cima curiosa.

Miúda, ter uma cona ajuda.

Pensei para mim.
Enquanto me dedico a chupá-la sinto as movimentações dele e após a expectativa anunciada ele penetra de uma só vez e fundo o seu caralho rijo na minha cona.
Não consigo continuar a lamber com o prazer da primeira penetração e gemo enquanto ele me fode com intensidade.
Ele comenta divertido

Não é para parares!

Eu volto a lambê-la bem. Tinha uns lábios bons e percorri-a de cima a baixo sentindo o clitóris rijo e a entrada da cona molhada.
Por vezes a penetração obrigava-me a gemer e a parar! Que delícia! Senti-a a contorcer-se também. Estava orgulhosa de mim.
Vamos para a cama, diz ele, eu ainda dou mais umas lambidelas boas e levanto-me.
Beijo-a na boca e depois viro-me para ele para o beijar também.
Seguimos os 3 até ao quarto.

Contínua…
Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Sex Doll – Parte II

Sentia-me bem, sexy e segura.
Ele começa a colocar as correias de pele nos meus tornozelos e com uma corda prende-as aos ganchos das correias e depois aos pés da cama, deixando-me aberta e imobilizada.
Pára por um momento para me beijar e pergunta-me se estou confortável e se gosto de me ver.
Respondo simplesmente com um sorriso rasgado. Ele diz-me para levantar a cabeça para me colocar uma coleira no pescoço, e depois prende-me também à cama com a cabeça de lado, com vista privilegiada para o meu reflexo.
Por fim prende os meus pulsos da mesma forma, puxando os braços para o fundo da cama.

Sinto um friozinho bom na barriga e após terminada a tarefa de me prender, beija-me novamente. Sei que quer ter a certeza que estou confortável. A primeira foda é como a primeira impressão, sela o destino de encontros futuros.
Volta para os pés da cama e agora aprecia o meu rabo, mordendo-o de leve à volta das nádegas , abrindo e beijando-o. Sinto a sua língua a percorrer o meu cu e também umas lambidelas longas que começam na cona e terminam no meu cu.

Comenta numa excitação contagiante

És tão boa, o teu cu é perfeito e lindo! Mesmo, apetece mesmo beijar e enfiar a língua.

Se não estivesse já corada diria que ficaria rosada com tamanho elogio.

A sensação de exposição e o meu reflexo eram super excitantes e juntando isso às carícias que já tinha recebido estava a explodir de tesão e desejosa de ser penetrada no cu e na cona.
Mas estando presa, estava sujeita ao plano dele. Ele afasta-se de mim e vai até ao WC, ao regressar beija novamente o meu cu e após uma ultima chupadela, coloca um gel fresco antes de lhe enfiar um plug que desliza rápida e suavemente causando-me um calafrio e me aumenta a tesão. De seguida cola um pedaço grosso de tape preta de forma a garantir que o plug se iria manter no sítio enquanto me fodia, libertando assim as mãos para me agarrar. Achei engenhoso.

Ele vem até mim e ao meu ouvido pergunta:

Estás desejosa que eu te foda não é?

Respondo rapidamente pedinchando

Sim, quero muito, fode-me toda!

Ele beija-me carinhosamente na cara e contorna a cama até chegar a mim e me penetrar intensamente e sem hesitações enquanto empurrava bem o plug.
A antecipação do momento, a sedução da sua orientação ao longo da noite, a excitação da posição vulnerável e as penetrações fortes e profundas na cona enquanto sentia o meu cu cheio provocaram-me um intenso orgasmo!

Pelo espelho pude trocar olhares com ele e satisfeita relaxo o corpo quando ele me começa a desprender.

Retira a tape e o plug e eu estico-me na cama e rolando sobre mim mesma volto-me para cima, esperando que ele subisse para a cama para continuarmos a foder agora olhos nos olhos.
Estávamos suados e rolávamos na cama em várias posições trocando beijos molhados enquanto fodíamos intensamente. Fui sempre delirando a cada vez que me podia ver no espelho a ser bem fodida.

Sentia-me satisfeita e a ficar com água na boca para sentir o seu leite quente, já estava a ressacar de o sentir na minha boca. Digo-lhe então

Vem-te na minha boca!

E desço para o chupar, sem pressas e com dedicação até sentir a minha boca a encher abundantemente com o seu leite morno, sinal de prazer e de missão cumprida!
Deito-me ao seu lado, a recuperar o folgo trocando mimos.

Exaustos mas ternos num longo abraço, assim ficamos até arrefecer.
Por fim levantámo-nos, já era tarde e a barriga pedia conforto e vestindo uma t-shirt dele fomos até à cozinha partilhar uma torrada com manteiga e mel enquanto íamos trocando elogios da nossa bela noite.
Ouvi com satisfação um –

Adorei ver o plug a ser engolido pelo teu cu bom.

Que será que me espera nos próximos episódios? Estou desejosa de ser a sua boneca.

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

Tesão de homem – Parte I

Sexta-feira ao final do dia sentia-me especialmente predadora.

Não resisti a uma caçada e após uns swipes encontrei algo que me chamou à atenção, a imagem era tentadora: uma mão tatuada a agarrar com vontade um belo rabo.

Fiquei curiosa e aprofundei o meu interesse, a apresentação terminava com um:

Queres marcar um café comigo? Ou posso-te comer sem que gastar dinheiro?

O meu interesse ficou ainda mais aguçado.

A atitude num homem para mim vale mais de 50% do seu interesse, claro que gosto que me agradem fisicamente, mas a atitude, isso sim é algo que me enche de tesão e me motiva a marcar um encontro.

Respondi com o modo safada ON

Podes me comer… não gosto de café.

Por acaso até gosto bastante mas a minha ideia era saber logo qual era a fibra do pretendente a presa. Correspondendo às minhas expectativas a sua resposta ao meu atrevimento foi

Como com muito prazer.

The game is ON pensei eu!

Marcámos o nosso encontro e confesso que abri uma exceção nas minhas regras, mas não queria deixar passar muito tempo e esmorecer a tesão que estava a sentir.

Nos dias que antecederam o encontro trocámos várias fotos provocantes e partilhei alguns dos meus gostos e preferências.

Falámos todos os dias e eu estava acesa, sentia a excitação de uma primeira vez e a expectativa era elevada. Decidi nessa manhã não usar cuecas no encontro, já tinha confidenciado que era algo que fazia de vez em quando e ele tinha reagido com muita tesão. Era uma agradável surpresa.

Combinámos encontrarmo-nos à porta do motel, confesso que me sentia nervosa e um pouco intimidada pela carga sexual prévia , mas por outro lado é a adrenalina que me move e se não sentir o friozinho na barriga é porque não vale a pena.

Quando cheguei ele já me aguardava, mal olhei para ele senti-me a ficar corada… Mas gostei do que vi e disse um tímido

Vamos?

Ele já tinha previamente reservado o quarto e gostei da sua escolha!

Ao entrar vi um varão, paredes e teto com espelhos, tudo com tons de vermelho e preto e uma larga cama ao nível do chão. Para complementar o ambiente de puticlube havia um jogo de luzes a iluminar alternando com várias cores.

Fiquei em pé, encostada ao varão enquanto ele poisava as suas coisas, gostei do toque fresco do metal e do ambiente que estava no ar. Esperei pelo avanço dele, ele passou as mãos pelo meu corpo e agarrou-me pela primeira vez o rabo com vontade.

Dei uma volta sobre mim para me exibir e perguntei-lhe atrevida se ao vivo era como nas fotos e confessei que não tinha cuecas.

Ele entusiasmou-se e quis comprovar o que eu dizia. Subiu a minha saia e passou lentamente a mão entre as minhas coxas, nádegas e por fim suavemente sobre a minha cona que estava já bastante molhada com a excitação acumulada.

Tomando a iniciativa começou a abrir a minha camisa, depois o fecho da minha saia e por fim tirou o meu soutien. A forma como o estava a fazer era sedutora e tranquila o que me foi deixando com muita vontade de me entregar ao prazer.

Fiquei nua, apenas com as meias de liga e os sapatos altos calçados, sentia-me sexy.

Ele agarrou-me com firmeza e fez-me ajoelhar em frente a ele, estava já duro e mesmo à minha frente, sem hesitar meti-o na minha boca para o sentir rijo pela primeira vez e comecei a chupar suavemente.

Ele empurrou-se contra a minha boca e senti-o a chegar bem fundo até à garganta… senti aquele sufoco bom e quando ele me largou respirei com vontade e ri-me… tinha apreciado e gostava de lhe dar a entender isso.

Passámos ao colchão… onde me deitei e esperei por ele, pelo seu toque e boca fresca na minha cona quente.

Hmmm que delícia! Relaxada e bem entregue encostei a minha cabeça para trás, fechei os olhos e disfrutei do puro prazer. Abri os olhos por momentos para ver o espelho do teto e lá estava o meu reflexo, eu deitada, pernas bem abertas e ele deitado com a cabeça entre as minhas coxas a saborear-me toda.

Gostei da intensidade com que me beijava a cona e me penetrava com os dedos… sabiamente fez-me vir!

Pensei…

Miúda, o teu palpite na sexta estava certo, boa presa!

Estava super excitada e desejosa de o sentir assim rijo dentro de mim. Ele coloca o preservativo agilmente e eu fico deitada de pernas abertas, a morder o lábio de ansiedade pela primeira penetração.

Continua

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

INTERNATIONAL FUCK – PARTE II

Costumo dizer que no que toca a sexo sou um pouco básica: gosto de homens (ponto final), de vários formatos, cores e feitios.

Este rapaz, para além de ser bem-parecido e atrevido, prometeu-me um squirt logo na 3ª sms de engate… Como resistir? Na minha cabeça o filme já estava a rolar e decidi fazer “all in” para ver ser era bluff ou não.

Outra coisa que me aguçava a vontade era o facto de ele não ser português o que fazia com que tivéssemos de falar em inglês e eu nunca tinha tido uma foda internacional!

No dia seguinte preparo-me para o encontro, como sempre, sentia o nervosismo bom que me anima e só pensava:

Miúda, é desta que vais esticar a corda e quem sabe descobrir o que é squirt na primeira pessoa!

Fomos trocando mensagens pelo caminho e eu sabia que ele também estava a sentir a pressão, afinal de contas ele é que tinha uma promessa a cumprir, eu ia só relaxar e desfrutar.

Cheguei ao ponto de encontro e ele diz-me em que quarto está. Vou ter com ele, respiro fundo, abro a porta e vejo-o de pé à minha frente ainda vestido como lhe tinha pedido.

O quarto era original: tema iceland, tons de azul, um jacuzzi… e espelhos no teto.

Avanço até ele e cumprimento-o com dois beijos na face. Gosto de quebrar o gelo e deixar a química fluir.

Ele elogia-me e mostra ser um “really nice guy”! O que ajuda a dissipar o nervosismo.

Sentamo-nos no colchão redondo sobre o chão, beijamo-nos e começamos lentamente a despirmo-nos um ao outro.

Ele desaperta a minha camisa e eu rolo sobre a barriga para ficar de costas e ele abrir o fecho da minha saia, que abria atrás num longo zipper. Sinto um arrepio ao expor o meu corpo pela primeira vez.

Ele tinha um corpo “super fit” e um sorriso inocente… mas a nossa conversa tinha promessas para cumprir!!

Ele despe-se todo e tira-me as cuecas e soutien com habilidade.

Engraçado como os homens gostam de exibir esta habilidade com soutiens

penso divertida.

Ainda antes do encontro, trocámos alguns gostos no que toca a sexo, ele tinha perguntado se eu gostava de ondas mais “hard” tipo choke ou spank. De facto, não sabia responder mas disse estar aberta a novas experiências e no calor do momento poderia ser interessante, estava, por isso, expectante com: squirt, hard sex e foder em inglês.

Ele toma o controlo do sexo, como eu gosto, e deita-me na cama, garantindo que eu estava confortável.

Beijamo-nos intensamente e já me estava a sentir molhada… O caralho dele era bonito e apetitoso e já estava duro.

Indo direto ao assunto, coloca o preservativo e após me penetrar com os dedos enfia o seu pau rijo dentro de mim!

Eu estava deitada por baixo dele e com os corpos colados rapidamente começamos a emanar calor.

Intenso, é como posso descrever o início, contudo, sentia-o preocupado em não me magoar quando me ouvia gemer.

Yes… soo good – Dizia eu sentindo-me uma porn star!

Ele agarrava-me com força e empurrava-se para dentro de mim. Levantou-me as pernas para os seus ombros e fodeu-me profundamente.

Bom ritmo, boa intensidade…

Yessssss!

Inclinando-se mais sobre mim, sinto a sua mão no meu pescoço, fecho os olhos para sentir e ouvir. O barulho dos nossos corpos, o arfar dele e o meu gemer claramente a subir de tom.

Conscientemente já não quero saber do som dos meus gemidos de prazer. Se há dias que gosto de os conter ou morder uma almofada, outros gosto de soltar sem restrições. Hoje era este o caso.

A loucura estava instalada e ele dá-me uma chapada e diz autoritário

Say you want to squirt!

Sem me dar tempo de resposta, volta a dar-me uma chapada com a mesma ordem. Como ele me continuava a foder e a apertar com força a minha capacidade de resposta estava lenta mas lá lhe disse I

I want, i want to squirt!!

Confesso que me surpreendeu e estava a ser muito divertido,  sem qualquer dor, apenas deixar rolar o impulso da situação.

Ele sai de dentro de mim e enfia dois dedos na minha cona. Fode-me assim num frenesi que me causou um arrepio no corpo todo.

Por momentos, olhei para ele e vi que estava concentrado a aplicar a sua técnica infalível em mim.

Contorço-me toda e entre um novo arrepio por todo o corpo sinto e vejo o líquido a brotar de mim enquanto ele continuou a foder-me com os dedos!

Senti uma descarga no corpo, diferente de um orgasmo, e estava espantada com o que via.

Ele sorriu triunfante e eu curiosa a ver que raio de fluído era aquele. É uma imagem bem interessante que ficou gravada na minha memória, porque ele continuou a foder-me e o esguicho a saltar por todo o lado.

WOW

Ele tinha cumprido a sua parte do deal, e merecia conhecer o meu deep troat and messy blowjob!

Ele senta-se numa parte mais alta junto ao colchão e eu levanto-me, ainda atordoada, gatinhando até ele.

Meto aquele caralho rijo na boca e chupo-o primeiro na cabecinha e depois desço até o conseguir enfiar o mais fundo na garganta.

Daí ao messy é um instante! Ele aprecia o meu gosto e capacidade e empurra a minha cabeça para o fundo até engasgar. A saliva começa a nascer em grande quantidade e cuspo-lhe também… olho para ele para sentir a reação, acho que estava também a cumprir a minha parte!!

Chupo com vontade até parar por momentos e lhe perguntar onde se quer vir…

In my face?

Sugiro.

“Ohh Yes”. Ele toma o seu pau nas mãos e termina a bater uma para a minha cara e boca. Volto a chupar para beber todo o leitinho e riu-me para ele.

Já devia ter a maquilhagem meio esborratada com o leite a escorrer, mas estava satisfeita! Penso nisso depois!

Ele levanta-se e vai para o jacuzzi que estava com água a correr desde que tinha chegado (smart guy) e ao fim de umas tentativas na água a escaldar lá consigo entrar e sentar-me junto a ele e ficamos aninhados sem falar.

Lavo a cara e penso que esta brincadeira não vai fazer bem ao meu cabelo… Não posso regressar ao trabalho com ar de quem esteve a foder num jacuzzi!! Trato disso depois!

Well… life is short! E estava a saber-me lindamente. Ele foi super meigo e carinhoso como eu aprecio e ficamos um pouco só a relaxar e a absorver as sensações.

Tinha acabado de ter um squirt!! WTF?! É diferente de um orgasmo normal, contudo, a descarga de adrenalina é maior. Ele diz-me que após a primeira vez se vai tornando mais fácil e que eventualmente irei conseguir squirt com sexo normal.

Após algum tempo na sopa, estamos ainda quentes e com tesão, olhamos um para o outro e voltamos ao colchão para mais um round. Estava desejosa de uma foda de quatro e ele não desilude.

Agarrando-me bem pelas ancas e rabo, fode-me com a sua intensidade e juventude. Venho-me

Fuck yeah!

Gosto de sentir o homem a dar tudo para me dar prazer, só ficou por experimentar o anal.

Para terminar, voltamos ao blowjob maravilha made in Portugal! Ele vem-se na minha boca e caímos os dois extasiados, lado a lado. Ficamos a conversar sobre as nossas vidas e até conselhos sobre mulheres lhe dei!!

Curiosamente ele não tinha estado com nenhuma portuguesa, só com estrangeiras como ele a aproveitar a nossa cidade. Pensei:

Sou uma jóia de mulher

Estava na hora de irmos à nossa vida habitual, ele aproveitar a aventura em Portugal e eu back to business.

Ficou a promessa de escrever um post em Inglês para que ele pudesse ler… mas não é possível… só o português me corre na veia literária.

No táxi de regresso fiz o replay de tudo na minha cabeça, acho que o motorista desconfia… se ele soubesse!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com

YES CAPTAIN! – PARTE II

Eu olhava para ele sedenta… Queria sentir aquele caralho minha boca… Queria isso mais que tudo e ele percebe isso… Sabe que aquela espera me está a torturar…

Queres metê-lo na boca é?

Faço que sim com a cabeça e digo

Muito!

Agarro-lhe o caralho e enfio-o todo dentro da minha boca.. Ainda estava a crescer… ADORO!
Agarro bem e dedico-me a chupar a cabecinha… enquanto vou batendo suavemente. Olho para ele e vejo que estou a ir bem.

Aproveito para passar para os tomates, lambo-os delicadamente e vou dando umas chupadelas mais intensas.

Volto a subir e, agora sim, ele já está rijo… uso a boca para sugar enquanto bato e o olho nos olhos…
Agora quero é senti-lo todo dentro da minha boca, a tocar no fundo da garganta! Ele percebe que isso me dá gozo e empurra-me a cabeça, forçando-se contra a minha boca. Faz isso uma e outra vez… Engasgo e sinto a minha saliva a acumular-se… Deixo-a sair e escorrer para cima daquela pila tesa.

Dedico-me com afinco até que ele me volta a tocar com as mãos na cona. Eu estava molhada e lubrificada, pronta para o sentir a entrar dentro de mim.

Ele levanta-se e tira um preservativo que rapidamente coloca, puxa-me para a beira da cama e segurando-me nas pernas penetra-me primeiro suavemente e depois intensamente, mantendo um ritmo muito excitante!

Fecho os olhos para apurar os sentidos… Adoro ser penetrada desta forma!

Ele sai de dentro de mim e pede-me para eu me meter de quatro.“Ui” penso eu,

É agora que vem a minha parte preferida.

Antes de me voltar a penetrar, fica de joelhos e volta a passar a sua língua pela minha cona e cu… Sinto aquele arrepio…

Viro-me para ele e beijo-o, beijo longo e molhado com os meus sabores.

Ficando de pé, volta então a entrar bem rijo dentro de mim enquanto me aperta o rabo com força.
Fodeu-me desse jeito durante um bom bocado… Deliciada olho para o espelho e cruzo o olhar com o dele, riu-me e pisco o olho… Adoro ver-me a ser comida por trás!! Este quarto com espelhos está a superar as expectativas.

Enquanto me come a cona, enfia 2 dedos no meu cu após mais um pouco de lube fresco. Fode-me o cu com os dedos deixando-me ansiosa por sentir o seu caralho rijo a entrar finalmente no buraco, ainda por explorar. Começo a aumentar o ritmo empurrando o meu rabo contra ele.

Penso que estou pronta… Quero que ele me foda o cu! Já!
Sinto-o a sair da cona e a abrir caminho no cu. Apertado e intenso… desliza confortavelmente!

Lentamente começa a entrar e sair e um arrepio percorre todo o meu corpo. Era um prazer já esquecido há muito e que estava a revelar-me uma delícia!

Com o rabo empinado e a cabeça baixa, sinto cada estocada… mordo o lábio… aperto o lençol… ahhh que prazer!

Os espelhos começam a embaciar… está um calor brutal naquele quarto… escorremos suor por todo o corpo…
Alternado com o meu cu, volta a penetrar com força a minha cona… gemo mais alto! Ahhh adoro minha imagem, mas já pouco se via naqueles espelhos!

Voltamos a mudar de posição… agora para aquela que permite sentir intensamente a penetração ao mesmo tempo que nos olhamos nos olhos … barriga para cima, pernas nos ombros dele…

Olhamo-nos satisfeitos, a pingar de suor mas satisfeitos! Sorrisos largos.
Descansando um pouco, volta a foder-me com as suas belas mãos e facilmente faz-me vir pela 2°vez.

Ahhh… estico-me na cama e ele cai meu lado. Olhamo-nos e rimos… ele tira o preservativo e volta até à cama.
Procuro desesperadamente pelo comando do ar condicionado. É impressionante o calor de dois corpos humanos dentro daquele quarto, mas era também sinal de prazer.

Refrescamos um pouco e volto a olhar para o caralho dele… ainda não estava saciada! Ele também não…
Chupo-o ainda com mais vontade e intensidade. Enfio-o todo, ainda mais fundo… engasgo-me várias vezes, paro, respiro e volto ainda com mais vontade! Ele ajuda-me neste ritual! Fico louca de prazer!

Por fim, descanso e pergunto-lhe se já sabe onde se vai vir.

Já sei desde o início!

Percebo a dica e digo:

Queres-te vir na minha cara não é?

“Claro!” Responde ele para minha satisfação.
E nisto sobe para cima de mim, ficando com os tomates por cima da minha boca, enquanto bate uma em direção à minha cara e me diz

Lambe-me as bolas!

Cumpro com dedicação já ansiando o momento em que aquele leite quente vai jorrar para a minha cara.
Sim! Ele vem-se! A minha boca, lábios, bochechas e testa ficam cobertas por um leite espesso e quente!!

Riu-me satisfeita enquanto olho para ele e dou umas chupadelas delicadas finais, para lamber tudo!
Ele diz:

Puta gostas disto, olha para ti…

Foi ótimo

Respondo!
Ele cai, finalmente, ao meu lado e contorce-se. Diz que tem descargas eléctricas após o orgasmo.
Observo entretida pelo espelho por cima de nós, os nossos corpos estendidos, suados e agora relaxados!

Boa miúda

Diz ele também divertido com a química que tínhamos. Eu dou uma risada, estou satisfeita e suspiro!
Ficamos a conversar sobre um pouco de tudo e de nada e sobre fodões futuros, ele diz que tem um amigo para me apresentar!
Sim, este foi um bom almoço e acho que passei no exame do sr. Capitão!

Surpreendida – Parte II

Ele sai rapidamente e fecha a porta. Eu fico imóvel, quero que o meu corpo volte ao normal e que o intenso calor passe antes de ser vista. Estaria alguém à espera de vez?

Tinha a cona a latejar e a cabeça no carrossel!

Levanto-me e ajeito o vestido, penteio o cabelo com as mãos e saio para ir ao lavatório lavar a boca.

Quando me preparava para regressar, já não tinha noção do tempo à que estava ausente, ele volta a aparecer.

Tinha os olhos brilhantes e estava completamente enlouquecido! Ri-me e disse-lhe

Nem penses

Não havia palavras que o demovessem e eu também não tinha sido convicente, mas estávamos a esticar os limites… hesitei…

Deixei-me levar! Voltámos à casa de banho de há pouco… e quase imediatamente já tinha a sua pila rija e pulsante a bater na minha cara, língua e garganta.

Desta vez a intensidade levou-o a agarrar-me contra ele e segurar-me bem enquanto me fodia a boca.

Eu sentia-me a sufocar e as lágrimas começaram a nascer nos meus olhos.

Ele deixou-me descansar por berves momentos… e voltou a segurar-me da mesma forma e eu olhei fixamente para ele! Ele viu o quanto eu estava a gostar e só dizia:

Puta!

Quando parou novamente, disse-lhe

Temos de parar! Já devem ter dado pela nossa falta!!

Ao que ele responde contrariado antes de se ir embora.

Puta quero-te tanto foder!

Volto a compor a roupa e saio da casa de banho tentando disfarçar o sorriso que tinha estampado na minha cara.

Vejo-me ao espelho e um pouco do rímel tinha borrado, limpo e aplico algum pó na cara, sacudo o cabelo e volto à sala com a minha postura habitual.

Sento-me na mesa, ele estava lá fora, e continuo uma conversa banal com uma outra colega. Fingido-me interessada no tema, só pensava:

Miúda, acho que ninguém deu por nada… será que desconfiam? Será que sonham? Bem, isso agora não interessa! Queres acabar de mamar aquele caralho e não passa de hoje.

O pós jantar estava a terminar e a grande maioria dos colegas foi indo para casa.

Entre os poucos que foram ficando planeavam-se agora as boleias.

Fiz-me de desinteressa das várias sugestões, até que ele me disse, queres vir comigo? Tenho o carro mesmo aqui à porta.

Sem mostrar grande entusiasmo disse

Ahh ok! Boa assim não tenho de andar muito. Estes sapatos estão a dar-me cabo dos pés

Saímos do restaurante e já estávamos no carro dele.

Olho para as horas, já era tarde e não me podia atrasar muito mais a chegar a casa. Digo-lhe sincera

Que pena… já é tão tarde…

Ele diz-me, enquanto arranca com o carro, vamos só a um sítio.

Ok, mas eu não me posso demorar muito, respondi.

Chegamos a um largo grande de estacionamento entre prédios e eu olho em volta desconfiada, ele diz-me que é tranquilo. Já era de madrugada mas podia estar alguém à espreita. Dados os acontecimentos daquela noite…who cares pensei.

Ele abre as calças e ela já está bem rija. Eu tiro o vestido e fico só de soutien e meias de liga, não tiro os sapatos porque adoro ver-me assim.

Ele chega o banco do condutor para trás e eu meto-me de gatas com os joelhos no banco do passageiro debruçada sobre ele.

Cheia de vontade volto a chupar-lo com intensidade, por momentos voltei à loucura da casa de banho.

O álcool estava a fazer o seu efeito nele e apesar da minha dedicação ele estava longe de se vi. Já era tarde e o meu tempo estava a esgotar-se! Pergunto sem vergonhas:

Vais-te vir querido?

Ele queria tanto vir-se que decidimos arriscar mais. Ele abre que porta do lado dele e sai, fica de pé com as calças abertas e o seu caralho rijo a chamar por mim do lado de fora do carro. Ficamos totalmente expostos a potencias mirones.

Avanço de gatas para ele e assim ele afunda-o na minha garganta uma e outra vez enquanto agarra bem os meus cabelos.

Fode-me a boca até terminar vindo-se bem dentro dela.

Ahhh que prazer eu tenho! Que loucura boa expostos assim na rua até gostava de estivessem a ver pensa a putinha dentro de mim.

Voltamos para dentro do carro e trocamos um beijo carinhoso… apercebo-me que nunca nos tínhamos beijado antes… volto a beijá-lo intensamente enquanto lhe acaricio o peito!

Sem falarmos compomos a roupa e arrancamos.

No caminho para casa só pensava que estava morta de curiosidade para saber as fofocas do jantar próprias do dia seguinte e só rezava não ter marcas no corpo!

Ilustrações:http://apolloniasaintclair.tumblr.com